Menina em meus sonhos

Me sentindo inútil e podre

2020.10.20 02:34 Jotarot Me sentindo inútil e podre

Tenho 18 anos, terminei o colegial ano passado em uma boa escola, relações conturbadas com a sala, e não passei em um vestibular. Eu queria passar em Arquitetura e Urbanismo pela Unesp, porém falhei ano passado e esse ano foi pro lixo. Aulas praticamente rasas, 0 ânimo pra tudo, ainda mais com ansiedade (crises), meu TOC voltou e crises de pânico. Eu sempre sonhei em trabalhar como Concept Artist em uma empresa de games, como a CD Projekt Red, mas nem pra eu comprar uma aula de desenho pela internet eu sirvo. Em relação à desenhos, sou autodidata por uma longa parte da minha vida, chego a postar no @eudesenhoeisso no Twitter. Eu não me acho bom no que faço pelo simples motivo de realmente eu não ser para o que eu almejo. Tenho sonho de passar minhas histórias e artes para os games, de forma que pessoas possam ver o mundo/criações com meus olhos. Ando desanimado e sem visão de futuro por boa parte do dia, mais as crises. A menina que mais amo fica muito longe da minha cidade, então nem ela posso ver. Estou andando muito triste e perturbado pelo TOC e ansiedade, porém por uma boa parte do dia eu estou tranquilo. Me sentindo um lixo por tudo isso, porém as vezes fico tranquilo. Um abraço pra quem leu meu desabafo!
submitted by Jotarot to desabafos [link] [comments]


2020.10.18 20:31 marvinpls Webnamoro que possivelmente poderia ter dado certo

Em 2012 conheci uma pessoa, darei o nome de A.
A. devia ter mais ou menos 17 ou 18 anos, e eu, um jovem gafanhoto de 15 ou coisa assim. Conheci a A. numa live de jogos, época que ainda existia a twitcam (quem lembra?), e o "streamer" (nem existia essa profissão na época) falou que tinha uma menina no chat solteira (de brincadeira). Obviamente dezenas de nerds colaram no perfil dela do twitter, e começaram a tentar flertar com ela.
E eu, um moleque nada original, também fui fazer o mesmo. Cara... (kkkkkkkkkk!!!!!!!!) como o tempo passa né? coisa estranha demais lembrar disso. Eu fiquei obcecado pela menina, sei lá. Eu via as paradas que ela postava e o jeito dela, e nunca havia encontrado ninguém assim (claro que não, afinal eu tinha 15 anos e só jogava na internet). Mas até hoje, acho o tipo dela muito diferente das demais (não do tipo "not like the other girls") mas um tipo de garota estranha que fala o mesmo nível de merda que eu naturalmente falo. Pra ser sincero, o meu tipo de garota é justamente alguém mais próximo dela, mas é realmente muito difícil encontrar alguém assim.
Como se não bastasse, a garota era linda demais. Digamos, uma das garotas mais bonitas que já vi (ainda acho isso nos meus atuais 22 anos), e ela morava em outro estado, do tipo muitos estados longes hehehe. Enfim... meu papo de merda deu certo, não lembro exatamente como começou nossa aproximação, mas lembro que eu era o cara que ela ia desabafar por conta de um namoro merda que ela andava tendo (com um tal de C.)
Esse C. era o cara mais chato que já vi na vida. Além de não parecer EM NADA com ela, ele era distante da garota, até onde lembro. Ele investia toda a grana do salário dele em som automotivo (sem meme), e cagava pro namoro.
Ela chorava bastante, e eu ficava horas e horas em chamada com ela por skype conversando sobre bobeiras em geral. O tempo passava, foram mais 2 anos acho nessa brincadeira, até que por um ciúmes bobo ela parou de falar comigo.
Nosso relacionamento era muito baseado no twitter, compartilhávamos e falávamos sobre mutia coisa em comum, e eu claramente estava perdidamente apaixonado pela garota. Numa época aí de fã clubes e não sei quê, algumas garotas de outros estados foram me seguindo também pra trocar ideias (sem maldade), e essas novas amigas fizeram com que a A. se afastasse de mim por achar que eu não quisesse mais ela. Não sei porque, vocês podem me perguntar, eu não fui atrás dela. Sei lá, parecia que eu estava confortável, e tinha achado uma bobeira tão grande dela se afastar, que não achava que fosse tão sério.
Semanas se passaram, e a A. nunca mais falou comigo direito. Tem muito mais coisa, mas realmente não lembro como essa amizade ou webnamoro foi se desfragmentando, pq pensávamos em viagem (com 16 ANOS!!!!! irreal demais, pqp) namorico, etc. Pelo menos eu acho que era, sei lá. Talvez houvesse a chance dela só me considerar um grande amigo, e eu estivesse enviesado como homem de achar que ela realmente era afim de mim. Não sei.
Agora vem a parte engraçada
Eu nunca esqueci seu nome. Meus amigos acabaram virando colegas dela também pq de alguma forma que não lembro, ela chegou a conhecer eles. Então eles acompanham ela nas redes sociais, mas eu não mais. Lembro que eu tinha me afastado a ponto de querer esquecer ela mesmo, e ela o mesmo de mim. Hoje com a cabeça mais madura, teria feito tudo diferente. mas ainda acho webnamoro algo irreal demais.
Basicamente ela está namorando um cara do RJ (já tem um tempão já). Estado na qual eu moro também. Quando descobri isso (por amigos) fiquei de cara. Não fiquei com ciúmes, triste, inveja, nem nada, mas tudo veio novamente na minha cabeça. Caralho, um cara do RJ? Sim, eu pensei no "e se fosse eu??????????".
Eu fiquei abismado por duas coisas: o quanto minha vida mudaria se eu tivesse namorando ela? e se desse tão certo a ponto de eu morar fora? eu ainda falaria com os meus amigos atuais? (que são meus melhores amigos), eu estaria em outra profissão?
Viajei, viajei demais. E o que me faz viajar tanto nessas questões é que não era uma parada extremamente difícil de acontecer. Claramente eram adolescentes decidindo coisas muito importantes e custosas, e que nossas perspectivas de vida iam mudar drasticamente ao chegar nos 20 e poucos anos. Mas digamos que éramos compatíveis em literalmente tudo, sabe? Enfim...
Não sou apaixonado pela garota nem nada, mas é uma história curiosa que penso vez ou outra. As vezes sonho com ela, e eu não sou nada esotérico ou coisa assim, então vocês podem dar as suas explicações mirabolantes que for pra esse tipo de coisa, alma gêmea, coisa assim.
Funfact: uma das paradas mais interessantes nesse rebuliço todo é que ela havia me apresentado uma música que eu não gostava a princípio, mas depois de alguns meses mudou totalmente a forma como me vejo e escutava música. Hoje em dia posso dizer que se ela não tivesse me recomendado aquela banda em 2012, eu estaria escutando mpb ou algo do tipo. Há 8 anos escuto o mesmo "gênero" (mais ou menos na verdade), e fico muito feliz com isso.
E vocês? tem histórias com webnamoro?
submitted by marvinpls to desabafos [link] [comments]


2020.10.16 21:12 Scalira Escritor frustrado pede opinião

Alguém poderia ler e me dar um feedback?
CITTÀ — di — C A R T A
.
prologue
.
Era eu, então, um garoto e já era ela uma mulher num corpo de menina.
Creio eu que as garotas amadureçam mais cedo: despertam para o amor e para os caprichos da sensualidade enquanto somos ainda só meninos apavorados, acossados às saias das mães e desejosos de videogames e jogos de bola. Seus olhos afloram antes para a ternura das paixões e seus lábios florescem antes a receber os beijos de um amante, enquanto os nossos são turvos, velados pelos constrangedores beijos lamechas das tias. Selina era uma mulher; eu, um menino. E era ela o meu fascínio.
Sentávamos na mesma fila, na mesma sala. Eu atrás dela. Via, dia após dia, aquele seu cabelo louro que era tal qual aço escovado. A curvatura perfeita de sua nuca; a pele de um bronze-praia que se perdia na gola da camisa para esconder sabe deus quais mistérios, sabe deus quais prazeres. Havia ali, entre o pescoço e a orelha, uma marca de nascença que era a marca de um pirata; o sinal de um tesouro enterrado que eu desvendaria se pudesse estirar os dedos e tocá-la, deslizar a ponta dos dedos pela arredia penugem dourada de sua orelha. Haveria um arrepio, então. Haveria eletricidade no ar, como o assobio da tempestade no vento. Ela voltaria os olhos para trás e eu veria o assombro de surpresa naqueles olhos verde-mar com os quais eu sonhava sem saber por quê. E o que eu faria, então?
Meus desvarios mais inventivos envolviam segurar-lhe a mão, eu acho. Examinar-lhe os dedos. Andar com ela pelos corredores, de mãos dadas. Sentar-me com ela no recreio.
Mas era eu um garoto e era ela uma menina. Uma menina crescida. Seus olhos eram velhos quando os meus eram novos. Ela vira o mundo. Havia visto as estrelas e já eram elas puras banalidades para as quais os meus olhos ainda não haviam ascendido. Eu ainda deslumbrava-me com a beleza do mundo, das coisas vivas, da simplicidade; ela trazia um cansaço naqueles ombros escondidos que eu jamais conheceria.
Mas eu a amava. Sei que amava. O amor puro de uma criança por outra criança. O amor puro de um menino que sonha em segurar a mão de uma menina e olhar fundo em seus olhos e dizer que a ama. Sonhava, talvez, com a esperança — oh, a mais irreverente loucura! — de que ela me beijasse a bochecha. Haveria, então, combustão. Seria eu fogo, seria ela paixão.
Eu a amava, mas Selina não amava ninguém.
Não fomos amigos naqueles dias de infância.

Fui-me embora naquele ano com meus pais a tentar a sorte na grande São Paulo, quando pensávamos haver por lá melhores oportunidades do que na pequena Buri. Meu pai, trabalhador do campo, sobreviveu a duras penas na selva de pedra e, quando o dinheiro encurtou e as contas do mês apertaram, fizemos o caminho de volta para o interior e para os roçados arrendados nas grandes plantações. Os grandes laranjais iam até perder de vista naquela terra escura queimada a café e, quando voltamos àquele rincão, houve uma choça para nós, a que chamamos de lar, e nos juntamos aos trabalhadores pobres a lavrar a terra e colher as frutas rotundas, rebentando de doces, trazidas a baixo por nossas mãos calosas e feridas.
À nossa chegada o sítio era um pedaço de terreno pantanoso, no qual o barro formava poças lodosas onde corriam cães e trotavam mulas e o pouco de verde que havia de grama penava a vingar sob o pisoteio dos animais. Pela manhã, duas vacas careciam de ordenha. Os porcos chafurdavam irrequietos no chiqueiro e um velho galo, cujas esporas saltavam para fora dos pés tais quais duas baionetas, esgoelava-se ao nascer do sol e ao findar do dia. Era seu canto agudo bramido do topo dos telhados que marcava o passo do dia de trabalho. O sol inda nem nascera e estávamos, então, em pé: era eu moço feito no estirão da idade quando voltara à vida do roçado em Buri.
Eram corridos dez anos desde que vira Selina.
Ela era um casual sonho que visitava-me tal qual o lampejo de uma luz que faiscasse na mais completa escuridão. Lembrava-me, então, da garotinha do cabelo dourado; o anjo de bronze que caminhava entre nós e cujos olhos distantes falavam do mar e de traiçoeiras águas. Ela, que jamais fora minha amiga. Ela, que jamais voltara o rosto para trás. Não havíamos trocado palavras naqueles longínquos dias de escola e, inda assim, eu a amara. Uma criança, verdade, mas puro era o amor que eu havia lhe entregado. Nem antes, nem depois pude experimentar a mesma pureza de sentimento que havia sentido por aquela luzinha que brilhava no escuro dos dias, nas primeiras horas da manhã; aquele sorridente solzinho de caninos acavalados a quem eu daria o mundo para que sorrisse para mim. Mas então, tantos anos depois, moço beirando a maioridade dos dias, sua lembrança era só um faiscar de nostalgia, um borrão lançado a uma página; uma figura fugidia que brincava entre meus dedos e que desaparecia toda vez que eu tentava olhá-la mais de perto.
Àquela feita eu já havia conhecido os mistérios que guardam as mulheres. Havia trocado beijos com as moças da cidade e deitara-me em seus braços desejosos de paixão. Havia perdido a crença em amores que duram para perder-me no vale dos prazeres que aqueles corpos delgados ofereciam sem muito compromisso. No fulgor da adolescência garotos são só garotos: há competição por quantas bocas beijamos, por quantas frases feitas nos conseguirão o calor do corpo de uma jovem guria. Assim, um rosto era só mais um rosto. Um beijo, só mais um beijo. Um corpo, só mais um corpo. E eu me perdia na imensidão das mentiras contadas, dos casos escondidos, das escapadas noturnas e o fastio daquelas perambulações só me fizeram descrer do que quer que eu tenha acreditado, um dia, que o amor pudesse ter sido. Via-me num interlúdio de paixão e prazer que era inócuo de sentido.
Mas de vez em quando eu pensava na luz.
Pensava naquela figura fugidia que já não me permitia vê-la, como fosse eu um garoto crescido que deixara de crer em fadas.
Já não me lembrava de como era a sensação de amá-la. Algo em mim doía por esse amor perdido, jamais realizado. Mas era essa a vida. Cremos eternas certas coisas — a dor, o medo, o amor —, mas tudo passa. Ficam-se as lembranças, mas mesmo estas são incertas; cremo-nos muito certos de que as coisas foram tais quais foram, mas, assim, por que não podia mais lembrar-me do exato verde-mar dos olhos dela? Não lembrava-me mais se a marca — a marca do tesouro, a marca dos mistérios — ficava à esquerda ou à direita e quanto mais tentava vê-la com clareza, mais sua imagem desfazia-se no luscofusco da névoa; ora surgindo, ora desaparecendo. Sabia que havia amado, mas não sabia mais que queria dizer isso, tal como sabia que um dia tivera, eu, oito anos, mas já não podia reproduzir a velha alegria da infância ao bel-sabor da adolescência.

Não a reconheci quando a vi outra vez. E quando a reconheci, não houve, tal qual nos livros, o reavivar do amor esquecido.
Ela era outra, e eu também. Não tínhamos mais oito anos e jamais teríamos outra vez. O passado era melhor intocado, diriam. Uma memória perfeita, cristalizada no tempo; um reino próprio em que não se pode mexer nem alterar. E mesmo lá, talvez, eu não a houvesse compreendido; mesmo lá, talvez, eu não a houvesse amado — a Selina-menina, a Selina-verdade —, mas amara um sonho. O sonho que tinha dela, o sonho de tocar-lhe as mãos e de sentar-me com ela no recreio. O sonho do seu sorriso amado. Mas havia fechado os olhos para os dela; aqueles verdes-mares antigos, antigos como a terra, aos quais nunca me dei o luxo de entender. Não sabia disso, então, mas agora, já velho, ao escrever estas memórias, vejo que a Selina amada só existira, então, em minha mente, onde ela era toda a certeza de uma vida de sonho e felicidade. Não pude entendê-la, então. Duvido que possa entendê-la agora. Viemos a nos conhecer, como ficará claro adiante, mas Selina era então, como o é agora, um mistério para mim.
Estávamos matriculados no mesmo liceu e, quando as aulas retornaram, esbarramo-nos pelos corredores. Não estávamos na mesma classe - havia eu reprovado um ano do ginásio a procurar emprego em São Paulo e, uma vez arranjado, trabalhara no carregamento de caminhões por todo o dia. Não era boa a paga que roubava-me de meus estudos, mas eram aqueles dias difíceis e qualquer vintém a mais pesava na comida da mesa. Estava no penúltimo ano do colegial e ela já findaria os estudos naquele ano em que a reencontrei.
Selina estava mudada. Não era algo em seu porte ou seu semblante, pois ainda havia muito da menina da carteira em frente naquela moça que nascera ali, e, embora houvesse crescido um palmo e ganho a sinuosidade em que se perdem os olhos masculinos, pouco mais mudara. O que não me permitiu reconhecê-la, porém, não foram suas ancas ou seios, nem o crescer de seu palmo e meio, mas a ausência da luz que antes alumiara as infindáveis manhãs de nosso antigo colégio.
Era tal qual um vagalume moribundo e, naqueles seus olhos fundos, podia ler eu estórias de privações e de castigos que a haviam esmorecido e, vez a vez, acossaram o brilho de estrela da menina amada até não ser mais que o último suspiro de uma vela que morresse na noite mais escura.
submitted by Scalira to desabafos [link] [comments]


2020.10.14 12:21 DonaBruxa_Deyse A Prostituta- Verídico

🕷🕸Relato recebido. Foi contado por uma mulher sobre seu contato com Setealém.🕸🕷
Eu sou Brasileira e morei em Milão/Itália entre os anos de 2003 à 2015.
Minha mãe tinha cidadania italiana, pois na sua juventude tinha sido modelo e morado na Itália. No seu tempo, chegou até a atuar em alguns filmes do de Sica. Mas minha mãe era fria, ruim, maldosa. Não dava a mínima pra mim. Ela era alcoólatra e me batia desde sempre.
Nunca conheci meu pai. Ela jamais citou seu nome. Sempre imaginei que fosse um italiano famoso e mantive a esperança de encontrá-lo. Minha avó era boa e me confortava após as surras. Contava que minha mãe nem sempre fora assim. Que era doce, meiga, sorridente. Mas que depois que voltou de vez da Itália pro Brasil, nunca mais fora a mesma. Tinha se transformado num monstro e que nem a reconhecia mais. Eu só pensava em fugir de casa. Minha avó morreu em 2002. Fiquei ainda mais sozinha.
Quando fui descoberta como modelo, não pensei duas vezes e fui embora. Minha mãe assinou os documentos e pela primeira vez na minha vida, parecia feliz por estar se livrando de mim.
Cheguei em Milão com 15 anos na esperança de seguir carreira como modelo. Sai do Brasil com um contrato assinado para desfiles de modas e realmente, desfilei por 2 anos. Porém, muitas meninas chegavam com o mesmo sonho, por ser um mercado com muita competição, os trabalhos foram diminuindo. Morava num apartamento perto de monte Napoleone e dividia com mais 5 garotas também modelos.
Comecei a trabalhar como vendedora pra uma loja de grife: Chanel. Mesmo recebendo comissão, era muito cara o estilo de vida que levava e tinha o sonho de ter sucesso na vida.
Uma das minhas colegas de apartamento, não escondia de nós que trabalhava como Ragazza imagine em danceterias e saia com clientes ricos depois dessas noitadas. Na verdade, ela era uma garota de programa e saia com a nata da sociedade milanesa.
Eu estava de saco cheio daquela vida e eu mesma pedi que ela me apresentasse para seu “chefe”. Era uma agência de “modelos”. Fiz fotos para um “book” que seria exibido para clientes que procuravam meninas com o meu perfil. O cachê para esses encontros partiam do valor de €1.500,00 por três horas de encontro. Esse valor livre em minhas mãos.
Nesse período em que trabalhei pra essa agência, sai com jogadores de futebol, políticos, artistas, sheikes árabes, milionários… Rolava sexo e muita droga. Eram homens generosíssimos e além do cachê pré combinado, ganhava gorjetas e muitos presentes. Nós não éramos obrigadas a usar, mas confesso que tornou-se um vício também. Numa sexta-feira, fomos chamadas para comparecer na agência.
Foi nos explicado que um cliente muito importante escolheria 7 garotas para um “evento”. Seria pago 17 mil euros para cada antecipadamente. As escolhidas seriam levadas por um motorista na data e horário combinado è trazidas de volta no fim do evento. Deveríamos assinar um termo de silêncio e que nada visto ou ouvido poderia ser divulgado. Meus olhos brilharam ao imaginar o valor que seria pago. Entrou então um avaliador. Ele estava ali para escolher as 7 meninas. Ele vestia terno caríssimo, sapatos que brilhavam, luvas pretas de couro, óculos escuros, mas eu pude sentir um desconforto toda vez que ele olhava para mim. Ele não falava nada. Parecia fraco, adoentado mesmo, pele amarelada. Todas as meninas vestiram biquínis, formamos uma fila e começamos a desfilar para ele. Ele apenas apontava o dedo para as que escolhia. Eu fui uma delas. Vibrei por dentro.
Houve uma segunda etapa da seleção, onde tínhamos que responder uma sequência de perguntas, que não faziam muito sentido naquele momento:
Você mora sozinha? Acredita em Deus e outros seres? Você tem medo do escuro? Transaria com um réptil? Qual período de tempo mais longo que aguentaria ficar sem beber água ou líquido? Acredita em orações ou rezas? Sabe dizer uma de cor nesse momento? Já ficou presa dentro de um quarto sozinha numa casa desconhecida? Você se considera uma pessoa capaz de guardar segredos? Se você desaparecesse, alguém sentiria sua falta?
Entre outras perguntas totalmente sem nexo....mas enfim, ricos são excêntricos, pensei!
Sai de la, com meus euros garantidos, porque no fim do processo, cada uma das 7 recebeu na conta o valor combinado. Deveríamos ir lindas e o tema da festa era “Mascarados”.
Sai da agência tão feliz. Resolvi comprar vestido, sapatos e bolsas novas. Comprei perfume e maquiagem. A festa seria na noite seguinte e meu motorista me buscaria as 19 horas em ponto.
No horário combinado, toda linda, eu aguardava no hall de entrada do prédio o tal motorista.
No termo que assinei dizia que não nos era permitido o uso/ portar nenhum aparelho fotográfico ou celular.
Então, parou um carro preto antigo, muito velho e desceu um homem tão estranho quanto o que me escolheu na seleção da agência.
Ainda assim de forma educada, sem olhar para mim, abriu e fechou a porta do carro.
Ele não trocou uma palavra comigo durante uma hora e meia até chegar ao local do evento.
Sabia que estávamos na região do lago de Como, mas nunca vira ali na Itália uma estrada tão deserta. Não cruzamos com nenhum Autogrill. Até chegarmos a um castelo antigo, que a primeira vista parecia abandonado. Estávamos no meio do nada e ali tinha um castelo! Ao adentrar no castelo, vi no meio do salão minhas 6 amigas. Estávamos lindas, ansiosas. Nos cumprimentávamos, quando ouvimos 7 rufadas de um tambor. Congelamos. Apareceu uma mulher vestida de preto e seu rosto escondia-se atrás de uma telinha do seu fascinator. Fez sinal para que a seguíssemos e fomos até outra sala ainda maior. Antes de entrarmos nessa segunda sala, a cada uma de nós foi perguntado ( pela senhora de preto): -Acredita na unidade daquele que é um só? Todas nós respondemos que sim ( nem sei dizer porque respondi que sim) e entramos no grande salão. Estava escuro e de repente, mais sete rufadas de tambor e a nossa frente, uma luz amarela acendeu. Era uma luz amarelada estranha, meio fraca, piscava e a nossa frente surgiam pessoas mais estranhas ainda. Ouvimos uma música que nos perturbava. Ficamos sem reação. Deveríamos dançar? Conversar? Sorrir?
Notei que aquelas pessoas pareciam pertencer a uma alta classe social porque por mais estranhas que fossem, havia muita pompa no modo delas vestirem-se e portarem-se. Repito que era tudo estranho e feio! Havia homens e mulheres e até crianças mascaradas naquela festa! Pessoas ricas com roupas tão surradas? Havia um cheiro muito forte no ar. Como se algo tivesse estragado ou em putrefação. A música era a mesma e eu já não entendia nada. Aos poucos, homens mascarados se aproximavam. Um deles, cambaleando chegou até mim, sorriu e NÃO TINHA DENTES. Me disse algo e seu hálito me atingiu... Inconscientemente, levei a não até a boca e nariz! Quase vomitei. Ainda assim, disfarcei e sorri. Quando ele encostou a mão gelada no meu antebraço, senti que cairia no chão.
Ele pressionou meu braço e me levou para dançar. Se é que aquilo seria dançar... davam uns pulos, tinham trejeitos e a falta de coordenação daquele povo poderia ser considerado patético!
Suportei por bem uns 10 minutos aquele bafo, mãos geladas sobre mim... Até que pedi algo para beber. Ele disse numa voz rouca mas fina, que não tínhamos permissão para beber nem comer.
Gente, que absurdo.
Porém, tinha levado meu pozinho mágico e seria obrigada a usá-lo para aguentar aquele show de horrores. Lembrando que já tinha embolsado meu dinheirinho, estava tudo Ok. Pedi para usar o banheiro e então a senhora de preto me levou. Iluminando o caminho com uma vela preta. O banheiro era a coisa mais NOJENTA que há vi na vida.
As privadas estavam todas sujas de m€£%¥. Tinha até vermes na água que fica parada no vaso. Pedaços de carne podres! Não tinha descarga. Ao tinha torneiras. Desisti de fazer xixi. Usei minha bolsa de apoio e fiz a maior carreira de minha vida. Quando voltei para o salão as pessoas tinham desaparecido. Só tinha uma mulher mascarada que me observava. Resolvi que deveria puxar assunto e caminhei na direção dela. Faltavam 5 passos e vi que uma senhora também de preto a arrastou. A mascarada gritou: - Eu sou você! ( disse meu nome!!!)Vá embora! Fuja daqui! Nós liberte desse inferno! Na confusão, sua máscara cai e pude ver seu rosto. Aquela mulher era idêntica a mim! Era eu num outro corpo. Nada pude fazer... A vi ser levada. Minhas colegas já tinham sumido e eu fiquei sozinha ali. Senti as mãos geladas no meu braço outra vez. Era aquele horrorizo novamente. O povo parecia ser muito ruim de festa. Ninguém falava, ninguém tia ou cantava, vão podíamos comer ou beber! Fui levada até um quarto . Passamos por corredores frios e escuros. Eu e ele! Meu coração batia forte... Não sabia se era a droga ou o medo. Comecei a escutar gritos ao passar por outros quartos. Chegamos ao “nosso” quarto! Era tão ridículo e feio quanto todo o resto até aquele momento.
Uma vela preta estava acesa. A única luz naquele quarto frio.
Tinha chegado a hora.. Teria que fazer jus ao dinheiro pago por aquela noite. Estava arrependida já!
Comecei a me despir, o homem, tirou a máscara e falou:
-NÃO OUSE!
Paralisei!
-Sente-se!
Ela falou comigo sem abrir a boca!
Sentei e ele me explicou:
-Eu sou seu irmão. Sou filho da mulher que gritou seu nome. Meu pai aprisionou ela aqui há anos. Ele é prefeito aqui. Você está num lugar que não existe. Aqui é o meio. Aqui é Sathlem ( algo assim)... Não sei escrever ou repetir. Prometi à ela que te libertaria. Suas amigas jamais voltarão. Já pertecem a esse lugar.
Quanto mais ele falava, mais lúcida eu ficava. Será que esse pozinho era tão forte assim? Só pensava nisso?!? Como eu poderia estar pensando nisso?Meu Deus, estou tendo uma overdose! Não é possível!
E o estranho concluiu meu PENSAMENTO: - Não, você não está alucinando ou alterada. Você foi despertada pelo UM SÓ! Não fale mais nada para não desperta-lo!
Comecei a chorar! Queria devolver o dinheiro! Queria ir embora.
Comecei a ouvir passos... Como se um gigante se aproximasse. O estranho fez sinal para eu calar a boca. Não era capaz de controlar meu choro. Até o estranho pressionar com o dedo um ponto na minha garganta! Doeu muito. Ouvi ele pedindo desculpas por fazer aquilo e perdi os sentidos.
Acordei na minha cama. Estava com o vestido e sapatos da festa.
Tinha um bilhete escrito na comoda do quarto escrito assim:
Senti tanto medo. Jurei que nunca mais beberia ou me drogaria na vida e pararia com aquele “trabalho” Realmente, nunca mais fiz nada daquilo.
Meu telefone tocou e era o agente. Precisava ir até a agência.
Fodeu, pensei! Fodeu, fodeu, fodeu!
Mas fui... Porque sabia que se vão fosse, eles viriam ate mim. Meio que você começa a fazer parte da máfia! Você tem que prestar contas!
Fui com o coração na mão! Bom, pensava a, gastei o dinheiro somente com o vestido, bolsa, sapatos e maquiagens. Não tinha gastado tanto e teria como cobrir os gastos e devolver os 17 mil.
Quando cheguei lá, o agente me tratou tão bem... Disse que eu tinha sido venerada e exaltada. Que tinha sido profissional e me destacado . Gostaram tanto de mim que pediram meus dados bancários porque me fariam um agrado!
Entendi que o agente tinha sido recompensado. Perguntei sobre minhas colegas e ele mudei de assunto: -Que colegas? De quem você está falando?
(NUNCA MAIS AS VI!) Não eram amigas. Nas as viagem festas e tal... Jamais as vi novamente.
Fui até um ATM e quando solicitei meu saldo, quase caí de costas! Havia sido depositado na minha conta alguns muitosssss 00000000000 de euros.
Com essa grana, mudei minha vidaComprei um apartamento e carro. Estudei. Conheci um grande amor. Tenho filhos. Moramos na Bélgica. Sou estilista de moda e tenho minha grife!
Tenho sonhos recorrentes com aquele lugar onde estive. Meu marido sempre comenta ter a sensação de estar sendo seguido ou observado. Diz ver carros estranhos parados na rua de casa. Comenta sobre carros estranhos! Digo que é apenas impressão dele!
submitted by DonaBruxa_Deyse to u/DonaBruxa_Deyse [link] [comments]


2020.10.14 12:19 DonaBruxa_Deyse Sobrenatural-Verídico

Preciso dividir isso com vocês! Relato de uma consulente que me procurou desesperada por ajuda espiritual. E irmãos de fé, me ajudem porque nunca lidei com isso não!
Eu ouvi todo o relato. Quanto mais ela contava, mais certeza eu tinha de que se tratava de SETEALEM!
Ela relatou que em maio, devido a pandemia e quarentena, sua família resolveu que seria melhor todos ficarem juntos no sítio dos pais dela, em Sorocaba. Disse que desde o momento que fazia a mala deles, uma sensação de que algo daria errado, pesava. Foi na gaveta do seu filho, que encontrou uma camiseta e um shorts que nunca, jamais vira antes. As roupas estavam sujas, eram velhas, encardidas e cheiravam mal. Nunca teve diarista em casa. Como poderiam aquelas roupas estarem ali? Perguntou pro pessoal e ninguém prestou atenção. Ninguém nunca presta. Naquele dia não estava a fim de começar a gritar tão cedo. Mas estavam todos estressados com os preparativos e ela sozinha pra fazer tudo, deixou pra lá! Enfiou as roupas numa sacola de mercado e deixou no chão, do lado da máquina de lavar na área de serviço. Ela, marido, a filha de 18 anos e seu filho de 5, saíram de São Paulo e seguiram pro interior. Durante a viagem, pra chegar no sítio, passam por uma estrada de terra. Seu filho de 5 anos disse algo que naquele momento não fez sentido algum: - Nem acredito, mãe, que estamos perto da casa do meu melhor amigo que ainda vou conhecer! Eles não deram atenção alguma pro menino. Minutos depois, ouviram um barulho como se tivessem passado por cima de algo na estrada e um dos pneus explodiu. O marido dela controlou o volante e estacionaram. Ele desceu e confirmou que o pneu tinha estourado. Ela pegou o celular pra avisar seus pais sobre o acontecido e que por isso atrasariam. Notou que não tinha sinal de rede em nenhum dos celulares. Não tinha no dela, não tinha no do marido, nem no da filha! Marido trocava o pneu e xingava porque ele nem queria ficar com a família dela! Nisso ela se virou pra trás porque percebeu que o menino estava acenando pro nada todo feliz! Sua filha começou a implicar com o irmão e disse: - Olha mãe, moleque doido! Começou já com as graças. Nisso o menino responde: - É o meu amigo! O amigo que vou conhecer. Olha mãe! Olhaaaa lá! Ela estava cansada, com fome, vontade de fazer xixi, sede e aquilo deixou ela mais puta ainda e nem se deu ao trabalho de responder os filhos. Pneu trocado, seguiram viagem na força do ódio. Uns quilômetros a frente, passaram por um posto de conveniência. Nunca vira esse posto antes. Não era a primeira vez que fazia aquele caminho. O sítio era da família desde que os avós dela casaram. Sua mãe nasceu ali. Ela foi criada ali e fez aquele caminho milhares de vezes desde bebê! Era um posto velho. Tão depredado que parecia estar desativado. Desativado se não fossem uns carros antigos também caindo aos pedaços estacionados em frente. Quem coleciona carro caindo aos pedaços?!?!? Comentou com o marido: - Meu amor, e esse posto que nunca vi na vida! Você viu?! O marido já exausto, responde: - Não prestei atenção! Mas se não viu antes é porque você é cega. Nem olha com essa cara porque você responde pra mim desse jeitinho sempre! Ela respirou fundo pra não começar uma briga ali... faltava tão pouco...perguntaria pro pai dela quando chegasse lá! E foi a primeira coisa que perguntou pro pai depois de abraçá-lo. O pai dela achou engraçado e respondeu que depois di galpão da firma tinha mais nada até chegar no sítio não. Tinha sim! Tinha porque ela viu! Mas também resolveu deixar pra lá esse assunto. A primeira semana foi uma maravilha! No final de semana seguinte, a irmã dela chegou com a família. A avó cozinha umas delícias. Os homens faziam churrasco e tomavam cerveja à vontade. O marido que não queria vir era o que mais aproveitada! A criançada brincava, pulava na piscina, corria livre, dormia e acordava tarde. Mas ela notava o filho dela meio aéreo, mais calado e não estava interagindo com os primos. Algumas vezes teve a impressão de ouvi-lo conversando/ cochichando com alguém mas quando se aproximava, ele se calava. Num sábado, resolveram fazer lasanha, mas faltava queijo, presunto, carne moída pro molho e extrato de tomate. Alguém teria que ir no mercado e pela primeira vez na vida, a filha dela se dispôs a buscar. A menina era habilitada há meses, dirigia por São Paulo, ia e voltava pra faculdade sozinha com o carro da minha cliente. E que perigo teria naquela estrada de terra, pouco ou nenhum movimento e ela iria até o supermercado mais próximo. O filho dela e os sobrinhos quiseram ir também e providenciaram suas máscaras e correram pro carro. Entregou uma nota de 100 reais pra sua filha fazer as compras. Ela me contou chorando que sua consciência pesa por ter pensado e falado pra irmã: - Graças a Deus, pelo menos por uma hora, teremos paz sem essas crianças gritando e correndo! A gente merece um pouco de silêncio sem filho gritando por mãe. A irmã dela riu e concordou.
Segundo ela, olhou no relógio na parede da cozinha, e faltava uns minutos pro meio dia.
O desespero estava pra começar!
Tinha passado uma hora desde a ida e nada dos sobrinhos e dos filhos voltarem. Resolveu ligar pro celular da filha e caia direto na caixa postal! Ligou dezenas de outras vezes e nada. Gritou o marido que estava na churrasqueira. Ele, o cunhado e o pai dela estavam bebendo desde às 8 da manhã. Quando ela relatou sua preocupação, eles não levaram a sério. Segundo os homens, as crianças logo estariam de volta...e foram beber mais. O coração dela apertou e lembrou do posto que vira na estrada, do filho acenando pro nada... não fazia sentindo, mas só pensava nisso. Tentou ligar mais vezes e como nada de atenderem, ela e a irmã pegaram outro carro e foram atrás dos filhos. De longe viram o carro que a filha dirigia encostado na estrada. Ela sentiu alívio por alguns segundos porque quando se aproximaram, o carro estava vazio. A irmã dela até aquele minuto parecia estar muito preocupada não. Porém, desceu do carro chorando. O carro estava parado sentido cidade ou seja, eles nem chegaram ao supermercado. Não tinha sinal deles! Sumiram! O celular não tinha rede, sem serviço e não tinha como pedir socorro ou ligar pra família. As pernas dela tremeram e caiu ajoelhada na terra rezando, pedindo a Deus por ajuda. Nessa hora, ela só lembrava que tinha sido ali que vira o posto de conveniência. Meio ao choro e grito contou pra irmã que vira o tal posto no caminho pro sítio. A irmã dela sem entender já gritou que nunca teve posto ali merda nenhuma. Minha cliente resolveu que iria encontrar o posto porque tinha merda de posto sim! O carro era da irmã dela que respondeu no gritou que não sairia de perto do carro, caso os filhos voltassem. Alguém tinha que avisar a família que estacavam em casa sem saber de nada! Entre gritos e mais choro, resolveram que a irmã voltaria pra avisar os outros e do sítio, ligaria pra polícia. Minha cliente esperaria no carro. Lógico que não conseguiu esperar e decidiu que procuraria por eles. Saiu com o carro que a filha dirigia. Dirigiu até o galpão da firma que tinha na estrada! Nada do posto. Fez o retorno, foi até o lugar que encontraram o carro abandonado e nada. Ela me contou soluçando que não era possível aquilo estar acontecendo. Desespero tinha atingido nível máximo! A irmã não voltava e a hora estava passando... e se ficasse noite?!?!? O que teria acontecido? Assalto? Sequestro? Nesse desespero fez o trecho até a firma, ida e volta, umas 5 vezes até cruzar com o carro da irmã. Vieram o marido, seu pai, cunhado e irmã. A avó ficou em casa, caso a polícia ou as crianças ligassem. Os homens bebados, ela e irmã histéricas! Ninguém se entendia. Depois de muita discussão quando tinham chegado à conclusão que o melhor era ir até a delegacia fazer um boletim, chega uma viatura com dois policiais. Ela tomou a frente e contou o ocorrido. Falou sobre ter visto por ali um posto de conveniência. Nessa hora os dois policiais se entreolharam. O marido dela emendou que ela era doida e que outra vez estava falando desse maldito posto. Um dos policiais, muito calmo contou que apesar de não existir nenhum posto naquele trecho, não era a primeira pessoa a relatar ter visto um. Sem contar muitos detalhes, falou que também não era a primeira, nem segunda vez que pessoas se perdiam e desapareciam naquela estrada! Os polícias pediram para que todos seguissem até a delegacia. Minha cliente e o marido, foram no carro encontrado na estrada e os outros, no carro da irmã. Na delegacia, um boletim de ocorrência foi feito. Mas todos os policiais ao ouvirem o relato, se entreolhavam de modo muito estranho. Só minha cliente notou. A polícia deveria esperar 24 horas após o desaparecimento pra iniciar as buscas! Um daqueles dois policiais que atenderam a ocorrência na estrada, disse baixinho pra minha cliente ficar calma que as crianças apareceriam. Porque todos tinham voltado de lá! Ainda na delegacia, ligavam de minuto a minuto pro sítio com esperança de receber boas notícias. Saíram da delegacia, por volta das 23 horas, ligaram mais uma vez pro sítio no caminho de volta. Nada! Ela e o marido não trocaram uma palavra...ambos choravam! Porém, ao estacionar o carro, ouviram as vozes das crianças e da avó. Ela sentiu um alívio e entrou na casa, agradecendo a Deus. Quando correu pra abraçar os filhos, paralisou. Impossível! Era impossível seu filho estar vestindo o shorts e a camiseta que ela tinha tirado da gaveta e deixado dentro de uma sacola deixada no chão da lavanderia, na sua casa em São Paulo! NÃO ERA POSSÍVEL!
Relato das crianças e da filha:
A filha contou que enquanto dirigia pro supermercado, viu o posto de conveniência, seu irmão, o filho da minha cliente de 5 anos, ao ver o tal lugar pediu pra parar ali! Ele pediu tanto, apelou usando “ por favorzinho” que convenceu a irmã a parar pra comprar tudo ali mesmo. O estacionamento da tal conveniência estava lotado de carros antigos. Seria melhor deixar o carro na estrada. Pensou que fosse um desses encontros de colecionadores de carros antigos. Nunca tinha visto nenhum daqueles modelos antes! A menina ainda relatou ter pensado em como alguém compraria ou colecionaria “uns trem” tão mal cuidado, caindo aos pedaços?!?!?!?!? Mas que só poderia ser coisa de”véi” mesmo. Entraram todos no estabelecimento e “bizarro” foi o termo usado ( pela filha dela) pra descrever o local e as pessoas! -Era um povo feio, tudo com pele amarela de doente, dentes podres, os homens e as sobrancelhas grossas e unidas... inclusive a de todas as mulheres! Até as crianças eram horrorosas... Crianças tinha fisionomia de velhas e sofridas! O lugar fedia! Fedia podre! Uma barulheira, todo mundo berrando, tocava uma música que ela não conseguia explicar. Era um ruído que estava grudado na cabeça dela. A música era um xiado fino, alto que dava a impressão de estar tocando dentro do corpo dela. A música machucava o seu pensamento. Era uma penumbra... uma luz que não iluminava e era difícil enxergar as coisas... ela tinha que forçar os olhos, piscar algumas vezes até distinguir os objetos ao redor. Objetos que nunca vira! Não dava pra imaginar a utilidade deles! Eram muitos corredores e prateleiras cheias de comida e coisas sem sentido! Enquanto se concentrava pra lembrar tudo que precisava comprar pra lasanha, a música dentro dela apagava as palavras. Ela fechou os olhos e forçou a memória... Talvez a força do seu pensar fez a música parar. Fez as pessoas pararam de gritar! Sentiu as maozinhas dos seus primos agarrarem sua mão e sua roupa. Ela sabia que estava chorando. Disse: - Mãeeeeee, fiquei com medo de abrir os olhos porque eu senti o peso daquele povo bizarro encarando a gente. Só abri porque ouvi um deles( referindo a um dos primos) dizer meu nome! Quando abri os olhos, meu irmão tinha desaparecido. Ele tinha sumidoooooo!!! Mãeeeeee, ele sumiu e não foi culpa minha... foi um segundo! As luzes começaram a piscar. Era uma luz sem cor, parecia que estávamos dentro de uma das fotografias daqueles binóculos da vovó! E as pessoas apontavam o dedo na nossa direção, gritando...eles gritavam sem mexer a boca: INTRUSOS, SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! VOCÊS NÃO PODEM FICAR AQUI, SAIAM DAQUI! Eu olhei pra uma senhora que estava bem próxima de nós e pedi ajuda. Contei que precisava comprar o que a mae nos pedira ... perguntei se ela tinha visto pra onde fora meu irmão. Mostrei o dinheiro! Ela riu!Quando ela abriu a boca sem nenhum dente, senti um bafo tão podre que o vômito quase saiu! Os primos estavam chorando, tremendo agarrados em mim! Comecei a chamar ele ( irmão/filho 5 anos)... e os bizarros, outra vez começaram : INTRUSOS, SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! VOCÊS NÃO PODEM FICAR AQUI, SAIAM DAQUI!
Eu não conseguia me mexer. Não dava pra andar!
E a música entrou em mim outra vez, mais alta e barulhenta! Minha cabeça doía e achei que desmaiaria. Nunca desmaiei... nas sabia que estava pra cair dura no chão! De repente, mas um de repente que pareceu horas, meu irmão aparece de mãos dadas com um bizarro tamanho criança. Ele veio dizendo que era o amigo que ele disse que conheceria aquele dia no carro no futuro. O bizarro chegou perto da gente dizendo que também me conhecia! Que já tinha falado que ( o filho de 5 anos) deveria fazer comigo o que (ele, bizarro!) tinha feito com a irmã dele! Eu puxei ele( apontou pro irmão) pra perto da gente! Mãe, ele não queria vir com a gente! Disse que ficaria com o amigo lá. Aí eu fiquei louca, fui arrastando todo mundo pra fora! O bizarro amigo dele, disse pra eu não falar alto porque “O ALGUEM”poderia acordar e pegar a gente pra ele! Eu mirei o rumo da porta, comecei a correr, as crianças também e o bizarro atrás da gente. Tinha escurecido. Era noite! Tinha neblina, um frio que esfriou meus ossos. Daí a gente correu muito! A gente corria e não chegava nunca até a estrada! Mas quando conseguimos, eu olhei, eu pisquei pra ver melhor e o carro tinha sumido. Sumidooooooo! O carro não estava mais lá! Sentamos no meio fio, meu irmão chorando porque queria voltar pra ficar com o amigo, os primos pedindo pela tia! Eles tremiam e batiam os dentes de frio! Entrei em pânico,porque como eu explicaria que perdi o carro, não comprei as coisas! Foi aí, que vi você mamãe, passar na nossa frente dirigindo nosso carro. Gritamos, corremos atrás de você, acenamos e você não olhou! Você não ouviu a gente gritar! Maeeeeee, você foi e voltou, foi e voltou, foi e voltou! Depois passou a tia em outro carro com o pai,o vovô e o tio! Mãe e tia, vocês nos ignoraram na beira da estrada. E aquela peste do moleque bizarro, de longe morrendo de rir da gente e gritando BEM FEITOOOOO! Como se não bastasse tudo isso, começou a ventar forte e a tempestade começou a cair. Ficou mais frio e a gente não conseguia respirar de tanta água que caia. A solução foi vir a pé, estrada escura, com chuva...Andamos até aqui!
OS SOBRINHOS:
-A gente ficou com muito medo! - Eu fiquei com tanto, tanto medo que fiz xixi na calça. -Eram monstros! - Eles queriam comer a gente! -Você não viu?!?!? Eles iriam picar a gente pra vender como carne moída! -Sera?!? E choraram muito. Ainda não conseguem dormir sozinhos em seus quartos. A luz tem que ficar acesa! Quando dormem, têm pesadelos e acordam aos berros!
O FILHO DE 5 ANOS:
-Mãe, foi legal. Sabia que meu amigo morava ali? Eu disse! Ele me visitava as vezes nos sonhos. Mesmo quando eu sonhava acordado e de dia! Hoje, a gente brincou de esconde-esconde e pega-pega!Fui na casa dele e comi comida lá! Sujei minha roupa de sangue e a mãe dele me emprestou essa. Essa roupa é do meu amiguinho! Ela falou que vai lavar a minha e depois trazer aqui pra você! Me convidaram pra ir lá outras vezes, passar as férias. Falei que pediria pra mamãe e pro meu papai! Foi super legal e meu amigo disse que já tinha me visto lá no futuro muitas vezes e que morarei com eles pra sempre! Pra sempre é muito tempo? Posso, mamãe? Deixa, por favorzinho?Por favorzinho? Eu convidei ele pra vir aqui amanhã brincar comigo, tá? Se você falar com a mãe dele, ela poderia deixar ele dormir aqui, né?!?!? Deixa, por favorzinho... diz que sim, mamãe!
Voltaram TODOS PRAS SUAS CASAS EM SÃO PAULO no dia seguinte, assim que o dia clareou. Os pais dela colocaram o sítio à venda e moram com ela, por enquanto. Minha cliente acredita que existe um lugar além. Ela tem certeza absoluta e provas disso! Está apavorada. Seu filho fala, brinca, canta, dá gargalhadas e afirma que o amigo está ao lado dele! Assim que entrou na sua casa em SP, correu até a lavanderia. Ela encontrou as roupas que seu filho usava no dia do sumiço. Estavam dentro da sacola, ao lado da máquina de lavar!
submitted by DonaBruxa_Deyse to u/DonaBruxa_Deyse [link] [comments]


2020.10.10 10:04 biel2907 Muitos problemas mentais

Boa madrugada, ou nem tão boa assim... Pra você que vai ler o que vou dizer, entenda que sua mente tem que ser muito aberta, principalmente a perdão, e o que você vê como ser humano ou não...
Enfim, indo do passado ao presente, meus pais nunca tiveram um relacionamento muito bom, desde que eu me entendo por gente, e estou falando disso porque é o que eu penso que pode ter provocado algo em mim do que vai vir a seguir... desde que eu me entendo por gente eles sempre brigaram, meu pai é muito mulherengo e minha mãe era bem menos "fogosa" que ele, e o casamento não deu muito certo, nunca vi meu pai bater nela, mas a pior briga que eu já vi foi ele ameaçando bater nela, mas isso nunca aconteceu, e eu não queria que eles terminassem de jeito nenhum até os meus 14/15 anos mais ou menos, pra mim era como se fosse o fim do mundo, depois eu entrei em uma escola técnica/ensino médio e vivia lá porque era muito tempo estudando e em uma cidade vizinha, conheci uma garota 2 anos mais velha que eu, foi a primeira pessoa que fiquei e assim que ficamos a primeira vez ela me pediu em namoro eu aceitei, não sei bem porque, mas foi indo, meu pai foi pra são paulo trabalhar porque tinha mais oportunidade (sou do rio de janeiro com minha mãe) e vinha as vezes 1 ou 2x por mês só visitar a gente, então o casamento foi só piorando... mas meu pai já tinha traido minha mãe antes e ela "perdoou" uma vez. Agora entra outro problema, eu não sei o porque, mas eu comecei a exercer um relacionamento tóxico/abusivo com essa garota que eu namorava, ela fazia tudo por mim me amava de verdade, e eu não conseguia confiar de jeito nenhum! E eu fui doente demais, fiz ela passar por coisas horriveis, a mãe dela controlava ela também, e eu também, e acabei brigando com a mãe dela (só discussão), enfim, mas a minha namorada foi a que mais sofreu, sério, são coisas terriveis, durou 4 anos nosso namoro, mas eu só ia piorando nas humilhações a ela,principalmente quando terminei a escola e fui pra faculdade em outra cidade, já fiz ela passar papel higienico no rosto, etc, inclusive já cheguei a agredir ela fisicamente (especificamente dei um tapa no rosto, não foi forte pra deixar marca nem nada disso, mas mesmo assim é TOTALMENTE errado, e eu nunca mais quero repetir algo do tipo), durante esse tempo meu pai engravidou outra mulher em SP minha mãe descobriu e eles finalmente terminaram (e eu agradeci por isso, não aguentava mais o relacionamento deles), uns meses depois a minha ex namorada finalmente se ligou com a ajuda das amigas dela e etc, e eu acabei terminando com ela por uma besteira minha e ela não voltou mais, e cortamos o contato dali, a partir daquele momento eu fui instantaneamente pro psiquiatra/psicólogo e comecei a frequentar bastante, eu passava mal durante meu relacionamento também por ansiedade de vomitar, ter caimbra no corpo todo, entortar ir pro hospital etc, isso já aconteceu varias vezes, eu acordava assim, em viagem de onibus sozinho, e era duro pras pessoas perto de mim ver aquilo, mas meus pais não gostavam de médicos de saúde mental, e só depois de tudo isso que eles resolveram que eu "deixar" eu ir. Eu ia bem na faculdade, porém nunca tive um sonho do meu curso em especifico, mas meu sonho era ter uma familia e só, nunca fui muuuito social, mas tinha uns amigos, até hoje tenho, depois que terminamos, eu não via motivo pra continuar na faculdade que pra mim era só pra dar um futuro pra minha familia que eu construiria, uma vez que fiquei sozinho perdi totalmente a vontade, tranquei voltei pra casa pra ficar com minha mãe, e ela também trabalha em algo bem simples e nunca teve vontade de melhorar na vida em questão de estuadr etc, e acho que acabei pegando esse jeito dela, mas é mais problema meu, n posso culpr os outros, hoje com 21 anos em plena quarentena com muito tempo livre eu não tenho emprego, não consigo lidar com os estudos EAD da faculdade (que tentei voltar) não tenho vontade, mas também não tenho vontade de fazer nada, eu queria um sonho, um motivo, algo profissional pra eu tentar aprender e melhorar, mas eu não consigo ter vontade de nada disso, chorei uma ou 2x e liguei pra uns amigos pra desabafar, mas sinto que já não tenho mais amigos pra isso... e também não adianta muito, porque eu quero uma solução, e acho que só tem como vir de mim, eu dei uma parada nos médicos mas já marquei psiquiatra/psicólogo novamente, tenho uma relação horrivel com meu pai desde então também, ele ja ameaçou brigar comigo e eu ameacei matar ele (falei da boca pra fora, bem eu acho) e tenho sonhos em que ele volta de SP pro RJ e sou obrigado a conviver com ele e é pertub ador, porque ele sempre foi uma pessoa mt grossa, e eu não sei mas tenho uma raiva guardada dentro de mim dele e não consigo lidar com isso, eu só queria esquecer q ele existe, mas sei que ele vai voltar aqui uma vez ou outra pra querer me ver, ver minha mãe, os pais dele q são meus vizinhos, etc. Enfim, a ansiedade eu consegui melhorar bastante com os remédios, os problemas de ser abusivo e tóxico eu falei tudo isso em diversas terapias, e acho que lido bem melhor hoje (só pondo a prática, eu namorei uma menina depois dessa mas foi por menos de 1 mes, foi bom pra nós apesar de ser curto kkkkk porque eu passei um tempo em SP assim que eu terminei o primeiro namoro, mas só piorou as coisas com meu pai lá e eu voltei e acabei terminando com a menina, na verdade foi bem consensual, ela gostou de mim mas também nem tanto pra namorar kk n tinha a magia, mas de verdade fui uma pessoa bem boa pra ela no tempo curto que tivemos e foi legal pra mim tentar me provar que melhorei mesmo que um pouco. Enfim é isso, não sei se pode ser curiosidade de vocês, mas eu me desculpei com minha ex 1 mes depois q terminamos, e ela tava bem melhor, acredito que possa ter buscado ajuda profissional depois de ter passado tantos problemas comigo, mas a ultima vez que vi algo dela, inicio desse ano (terminamos ano retrasado), ela aparentava estar bem, não nos falamos, eu até hoje me sinto culpado pelas merdas, mas isso n apaga o passado... enfim, eu to tentando reconstruir tudo, inclusive quero tentar esquecer isso com meu pai, mas primeiro preciso achar um futuro pra mim profissionalmente, e isso tá foda, porque preciso não depender mas da minha mãe, mas ajudar ela em casa que não é nada fácil nos dias de hoje...
submitted by biel2907 to desabafos [link] [comments]


2020.10.10 01:17 Enscie CERTAS PESSOAS MERECEM MORRER

Essa e um aparte da minha historia!
Na pre escola, prezinho e 1 serie sofri bullyng da professora e alunos, professora me ameaçava a por no escuro e que bixo pápao ia me pegar, que o tio lá era um monstro e ia me punir no escuro! Eu criei altos medos deles, sonhos e tal... ate hoje eu tenho medo do escuro... Fico nele mas tenho um certo medo de coisas sobre naturais e tal.
Sofri abuso na escola com 8-10 anos, contei a pouco a mãe com 24 anos!
Os meus "Amigos esfregaram a pica na minha cara, simularem sexo de 4 comigo " e tal, não foi uma vez e me ameaçaram pra não contar!!
Aos 16-17 sofri duvidas da sexualidade!
18 - 20 Fiquei muito deprimido e triste, queria algo bom, sair namorar, uma casa melhor e tal!
21 as 23 Namorei com uma menina legal, mas que sofreu abuso quando nova, a mente dela era ferrada e achei que a gente podia se entender mas ela criou uma casca dura por tudo que rolou e talfoda terminamos mas ainda queria ela! 7 meses depois! Tive mais duvidas de sexualidade namorando com ela! Isso ferrou minha relação, ela era bi e tal... Achei que isso ia nos fazer se entender.
Historia da minha casa! Reposta um outro tópico meu no reddit sobre minha tia e a família do meu pai e casa que vivo, tipo isso e foda pq aconteceu em paralelo de tudo acima do resumo acima!
Cara ela merece! Ela nunca deixou nois reformar aqui e meu pai mora a 20 anos aqui, quando a mae dele era viva ela também não deixava, ele nunca quis sair daqui pra não pagar aluguel, mas viver numa casa com mofo, parede caindo reboco, infiltração só foi fodendo meu psicologico, pois nem amigo trazia aqui, descia do onibus publico da escola longe de casa e ia a pé pra não ser zoando pela casa velha!
Meus amigos da escola que descobriu onde eu morava, mas eu nunca falei! E fique chateado quando vieram aqui! Pq era uma coisa que podia ter sido mudada, uma reforma e tal! Mas eles não deixavam a gente reformar, e agora tem uma casa em cima dessa caindo aos pedaços e não pode derrubar por que a casa de baixo esta meio fragio... Enfim e agora ela esta querendo roubar esse terreno que é de familia dzendo ser dela! Já ate mandou cartão pra gente desocupar ou pagar aluguel, aik meu pai entrou na justiça! Serio eu quero me mudar daqui pra ter tranquilidade!
Acho que matar ela ia resolver um monete pro meu pai e mae! E resto da familia pois ela ta bem e as filhas indo pra faculdade, casa boa e tudo e nois aqui lutando só com minha mae trabalhando e meu pai com hidroceles e não quer se aposentar ou arrumar um trabalho! E eu fodido do pscicologico!
Atualmente quero tomar antidepressivo que trata ansiedade! Pq vi um adio da minha ex sogra e suei, o coração acelerou e quase morri pra dar play nele! Se sonho com algum problema fico super preocupado! Larguei ate um trabalho que consegui recentemente 10 dias depois... to me sentido mal, com a cabeça pesada, ta foda! Angustiando e tal! Tenho ejaculação precoce e ja tomei depressivo pra isso e eu queria sair com alguém mas esse problema me envergonha e tras sofrimento e tomei antidepressivo pra isso uma vez! E melhorei nas outras coisas sabe! Enfim... To tendo muita dor de cabeça e preocupação, quase não durmo ou viro a noite e durmo mais de dez horas quando durmo, ta foda! Tem dia que não quero levantar tipo hoje! Queria ao menos uma renda! Quero me mudar, mesmo que na quarentema a casa sofreu um a reforma, minha ex veio aqui duaz vezes mas acho que me largou por isso também! Enfim e a boasta toda só me fode e não vejo saida!
Desculpa o portugues mas nem to lembrando direito as escrita e pontuação e tal! Acho qe nunca aprendi isso ou e muita coisa na mente que ta dando umas esquecimento! Velw por ler ate AQUI
Grato se leu ate aqui! Se puder me ajudar!
submitted by Enscie to desabafos [link] [comments]


2020.10.07 06:01 contadescartavel12 vale a pena?

[aviso de textão]
Primeiramente boa noite a todos que se dispuseram a ler. Prazer, sou um rapaz de 20 anos que já perdeu o amor na vida a muito tempo.
Talvez eu tenha depressão desde os 13 anos ou antes, depois de tanto tempo já deixei de sentir tristeza profunda, agora todos os meus dias são só vazios e sem esperança. Durante a minha adolescência o que me mantinha de pé era me embriagar até desmaiar e um tempo mais tarde foi os alucinógenos que me davam alguma alegria, nunca fui viciado em nada disso, mas nunca fiz um uso consciente tanto do álcool quanto do LSD. A única certeza que eu tinha é que eu tinha que morrer antes dos 18, fui fraco, não foi por medo nem nada, eu sou ateu desde que me entendo por gente então a única coisa que eu tenho certeza na vida é que o suicídio é a porta de saída de toda essa merda, porém não o fiz, ainda não entendi o motivo disso.
Não sei como nem o porquê deixei eu chegar nesse estado em que me encontro, hoje me sinto mais sozinho que nunca, não existe ninguém nesse mundo em quem eu possa me apoiar, dai vem o questionamento do título: vale a pena viver uma vida sem esperança, sonhos e alegria?
Sobre família:
Durante muito tempo senti muito ódio dos meus pais e parentes, odeio eles com todas as minhas forças, mas hoje é mais um sentimento de desprezo. Meu pai foi ausente toda a minha vida, ele aparecia uma vez por semana completamente por obrigação social e para mostrar pros outros que ele ainda tinha o mínimo de ombridade, então ele sempre foi um nada pra mim. Minha mãe me teve de uma gravidez acidental e imagino eu ela tem na cabeça dela que eu tirei os anos de ouro da vida dela, então ela me odeia e o sentimento é recíproco. Nunca houve nada muito grave para odiar eles, mas mesmo assim tenho meus motivos e acho que não cabe aqui me apegar a muitos detalhes.
Sobre amigos:
Durante a escola eu sempre fui muito comunicativo com as pessoas, pelo menos na minha visão acredito que se perguntarem para qualquer colega das escolas que estudei vão falar que sou uma pessoa muito engraçada e legal de conversar, mesmo sendo essa pessoa agradável acho que posso ser considerado o "invisível". Eu acredito piamente que as pessoas gostavam de mim, mas ninguém lembrava de mim, sempre me convidavam por dó para fazer as coisas ou sair com os outros, nunca fiz parte de um grupo, sempre fui o excluído mesmo quanto tentava me enturmar mais. Eu podia conversar todo dia o dia todo com a pessoa e mesmo assim fora da escola eu nunca era mais que um colega. Hoje posso dizer que me restaram 2 "colegas" que não posso afirmar que continuaram a lembrarem de mim por muito tempo.
Sobre relacionamentos:
Já adianto que não estou nem perto do padrão de beleza, sou só uma pessoa nada demais. Nunca namorei nem mesmo fiquei serio com alguém, já fiquei com algumas meninas mas na muito além disso. Talvez eu possa ser considerado demissexual, mas não tenho certeza disso, por não me interessar por sexo e buscar a mulher certa para amar e ser amado, sempre fui chamado de "viado", o que fez um estrago muito grande na minha cabeça e na época me fazia perder completamente minha autoestima.
Nessa época no meio de tudo isso passando pela minha cabeça fui usado por uma menina que queria fazer vingança pro ex namorado dela que era um dos meus melhores amigos (só pra esclarecer, ela armou tudo, esperou eu ter bebido uma garrafa toda de destilado para poder ficar comigo e ter alguma prova pra esfregar na cara do ex dela. Ela fez isso com pelo menos mais 3 pessoas.). O resultado disso foi eu recebendo chantagem psicológica por alguns meses enquanto eu tinha que abaixar a cabeça pra essa pessoa. Isso mexeu muito comigo na época, eu sentia muita culpa e nojo de mim mesmo.
No mesmo ano que isso aconteceu eu me apaixonei por uma colega de classe do cursinho, ela me tirou completamente do fundo do posso que eu estava. Nós andávamos juntos o tempo todo, almoçamos juntos, assistíamos aulas juntos, enfim, eramos muito ligados. Chegou um ponto que todo dia vinha alguém perguntar pra mim se a gente estava namorando, eu não tinha nem ficado com ela, estava criando coragem e estava conseguindo superar os traumas do passado para pedir pra ficar com ela. Bom, depois de uma sexta-feira em que foi o dia perfeito de nós dois juntos decidi que segunda sem falta iria tomar coragem e pedir para ficar com ela. No grande dia, ela chaga na sala de aula, dou bom dia e ela senta bem longe de mim, depois desse dia nunca mais ouvi a voz dela. Toda vez que me aproximava ela fingia mexer no celular, se eu perguntava alguma coisa ela fingia que não ouvia, me senti mais uma vez um invisível. Imagine uma pessoa que você gosta e considera muito de um dia para o outro começar a te ignorar, chegou ao ponto de eu sentar na frente dela e dizer exatamente essas palavras "[nome], eu te fiz alguma coisa? Você tá estranha comigo esses dias, eu não sei se eu te chateei com alguma coisa, mas me desculpa do fundo do coração, conversa comigo o que aconteceu que eu prometo que vou consertar." bom ela só abaixou a cabeça e fingiu mexer no celular bloqueado enquanto eu falava e dizia que tava tudo normal e que ela não sabia do que eu tava falando.
Depois disso a vida voltou a não ter brilho de novo, fiquei os últimos meses do cursinho sentado no meu canto sem falar praticamente com ninguém,esse ano passei numa faculdade que vou ter que dar o que não tenho por 6 anos para me formar. Agora só preciso esperar a pandemia acabar para começar a faculdade, ou seja estou a quase um ano dentro de casa esperando e pensando muito sobre a vida... eu sei que tem gente com muito mais problema que eu, mas eu cheguei a conclusão que não vale mais a pena... acho que meu eu de 5 anos a traz tinha toda a razão...
submitted by contadescartavel12 to desabafos [link] [comments]


2020.10.04 02:59 heartless2000 Eu deveria terminar meu namoro?

a historia é longa mas vou tentar resumir:
Estou em um relacionamento a tres anos onde sempre deu tudo certo. Em maio desse ano eu acabei entrando no facebook do meu namorado e baixei uma conversa que ele tinha com uma menina chamada "Mariana". Eles conversavam no facebook de 2011 ate 2015 e tiveram um relacionamento mais serio em 2015. Apesar de isso tudo ter ocorrido muito antes da gente se conhecer(nos conhecemos em 2017) eu fiquei com uma pulga atras da orelha por dois motivos: 1 - ela é muuuito bonita e 2 - ele sempre deixou claro pra mim que eu fui a primeira namorada dele. Na conversa do facebook ficava nítido o quanto ele gostava dela e como ele ficou triste quando ela n quis levar o relacionamento pra frente pelo motivo de "ainda sou muito nova e quero aproveitar mais". Pouco tempo depois disso ele até tentou se matar mas n sei se tem algo a ver com essa menina.
Até ai vc deve estar me achando maluca e possessiva ne? Afinal, tudo isso aconteceu antes de nos conhecermos e eu nem deveria mexer nas coisas dos passado. O ponto é que fiquei com aquilo na cabeca e fui perguntar a ele sobre ela. Perguntei se durante o nosso namoro ele havia tido algum contato com ela e ele negou. Perguntei mil vezes e ele negou.
A questão é que fiquei desconfiada e acabei fazendo algo que nao me orgulho: peguei o celular dele enquanto ele dormia e fui atras de mensagens com ela no whatsapp. O fato é que ele havia mentido pra mim: eles conversavam sim durante nosso namoro e isso me deixou muito mal. Exportei toda a conversa(QUE ESTA ALI NO FINAL, SE VC QUISER LER) e no outro dia perguntei pra ele novamente se ele falava com ela. Implorei na verdade e ele continuava mentindo, dizendo que eu deveria acreditar nele. Ele so admitiu quando eu falei que havia acessado o celular dele.
Depois disso demos um tempo de 1 mes mas ele sempre insistiu pra continuarmos. Falava que aquelas conversas nao significavam nada e que ele somente respondia quando ela chamava ele. disse que gostava de ver ela sofrendo porque ela havia feito ele sofrer no passado.
Enfim, se vc leu ate aqui agradeço muito. Eu realmente n sei se devo continuar ou nao pois ele mentiu muito pra mim.

Por favor, me de a sua opinião.

Vcs confiariam novamente se estivessem no meu lugar?
Voce conversa com sua/seu ex? Se sim, por quê? é realmente sem sentimento nenhum?

---------------------------------CONVERSA QUE ELES TIVERAM NO WHATSAPP-------------------------
11/05/2020 13:22 - As mensagens e chamadas desta conversa estão protegidas com a criptografia de ponta a ponta. Toque para mais informações.
11/05/2020 13:22 - Mariana: E aí
11/05/2020 13:22 - Mariana: Como é que cê tá?
11/05/2020 13:37 - Joao: Heey, to bem você?
11/05/2020 13:38 - Mariana: Também
11/05/2020 13:38 - Mariana: Não estou bebada e tbm não acabei de levar um chifre
11/05/2020 13:38 - Mariana: hahahaha
11/05/2020 13:38 - Joao: Olha, isso é novidade hahah
11/05/2020 13:38 - Joao: Estranhei pelo horário, estar bebada agora seria meio estranho
11/05/2020 13:39 - Mariana: hahahahah
11/05/2020 13:39 - Mariana: To trabalhando
11/05/2020 13:39 - Mariana: e ontem lembrei de você
11/05/2020 13:39 - Mariana: e aí vim especular sua vida
11/05/2020 13:39 - Mariana: Na realidade, eu queria te perguntar uma coisa
11/05/2020 13:39 - Mariana: É pessoal, mas acho ok
11/05/2020 13:40 - Joao: Certo, o que é?
11/05/2020 13:44 - Mariana: Naquela época que tínhamos uma relação, você havia comentado que sofria de um transtorno de agressividade
11/05/2020 13:44 - Mariana: Lembra?
11/05/2020 13:44 - Mariana: Inclusive, pouco tempo depois tu ficou internado
11/05/2020 13:45 - Joao: Não, não era transtorno de agressividade, era boderline
11/05/2020 13:45 - Joao: Pq?
11/05/2020 13:47 - Mariana: O que é isso?
11/05/2020 13:47 - Mariana: Cara, pq eu precisava de certos acompanhamentos
11/05/2020 13:48 - Mariana: Eu sei que sou uma pessoa extremamente ansiosa, mas em alguns momentos de irritação - ainda que por motivos bem pequenos - eu tenho uma reação desproporcional
11/05/2020 13:48 - Mariana: E me sinto muito violenta
11/05/2020 13:48 - Mariana: Claro, não chego a fazer nada
11/05/2020 13:48 - Mariana: Mas a vontade é imensaa
11/05/2020 13:49 - Joao: Então, Boderline é um transtorno de personalidade, é um agregado de coisas
11/05/2020 13:50 - Joao: Para o diagnóstico do transtorno de personalidade limítrofe, os pacientes devem ter

Instabilidade persistente nos relacionamentos, na autoimagem e nas emoções (desequilíbrio emocional), bem como acentuada impulsividade.
Esse padrão é caracterizado por ≥ 5 dos seguintes:

Esforços desesperados para evitar o abandono (real ou imaginado)
Relacionamentos intensos e instáveis que se alternam entre idealização e desvalorização da outra pessoa
Autoimagem ou senso do eu instável
Impulsividade em ≥ 2 áreas que pode prejudicá-los (p. ex., sexo inseguro, compulsão alimentar, dirigir de forma imprudente)
Comportamentos, gestos ou ameaças repetidos de suicídio ou automutilação
Mudanças rápidas no humor, normalmente durando apenas algumas horas e raramente mais do que alguns dias
Sentimentos persistentes de vazio
Raiva inadequadamente intensa ou problemas para controlar a raiva
Pensamentos paranoicos temporários ou sintomas dissociativos graves desencadeados por estresse
11/05/2020 13:55 - Mariana: Hmm
11/05/2020 13:55 - Mariana: Poxa, isso tem martelado na minha cabeça
11/05/2020 13:56 - Mariana: Eu preciso ter mais calma, ou uma hora vou fazer algo que eu possa me arrepender
11/05/2020 13:56 - Joao: Mas tipo, isso é uma coisa, o certo é procurar acompanhamento para te diagnosticarem do jeito certo
11/05/2020 13:56 - Mariana: Não sei explicar, só sei que é algo muito forte e que vem de dentro!
11/05/2020 13:56 - Mariana: Aquele raiva!
11/05/2020 13:56 - Mariana: E depois eu penso, e vejo que é desproporcional sabe
11/05/2020 13:57 - Mariana: É, eu tenho que voltar a fazer acompanhamento
11/05/2020 13:57 - Mariana: Eu tinha achado umaclinica pelo meu plano
11/05/2020 13:57 - Mariana: Só que aí começou a Pandemia, e eu deixei de lado
11/05/2020 13:58 - Mariana: E como até hoje tive apenas 03 crises bem fortes
11/05/2020 13:58 - Mariana: Essas de ansiedade ou pânico, eu acabo deixando sabe
11/05/2020 14:00 - Joao: Entendo, as vezes eu tenho certas crises também, eu voltei pra tratamento agora depois de um bom tempo tentando marcar horário
11/05/2020 14:00 - Joao: Mas não estou mais tomando nada
11/05/2020 14:00 - Joao: Talvez tenha que voltar
11/05/2020 14:01 - Mariana: Que ótimo!
11/05/2020 14:01 - Mariana: Tomara que não precise voltar para o tratamento medicamentoso, mas se precisar, também não é o fim do mundo né
11/05/2020 14:02 - Mariana: Infelizmente esses problemas psicológicos tem se tornado cada vez mais comum
11/05/2020 14:15 - Joao: Pois é, também espero que não, sempre me senti estranho tomando. Não parecia ser eu, além disso tinham efeitos colaterais bem chatos
11/05/2020 14:17 - Mariana: Faz parte...
11/05/2020 14:17 - Mariana: Na minha volta bastante gente precisa se submeter e tais tratamentos
11/05/2020 14:18 - Mariana: Mas enfim! Como está a vida? Está aqui em SJP? Aulas suspensas?
11/05/2020 14:23 - Joao: Restrita, apesar de eu não ter parado de trabalhar
11/05/2020 14:24 - Joao: Estavamos imprimindo máscaras para o pessoal da saúde de Joinville e Curitiba
11/05/2020 14:24 - Joao: Mas as aulas pararam, só estou tendo EAD por enquanto, e por ai?
11/05/2020 14:27 - Mariana: EAD também!
11/05/2020 14:27 - Mariana: Escritório voltou semana passada
11/05/2020 14:27 - Mariana: Mas antes disso estávamos trabalhando em casa
11/05/2020 14:29 - Joao: Foda, aqui não tem previsão das aulas voltarem
11/05/2020 14:31 - Mariana: É, aqui disseram que retornaria em agosto
11/05/2020 14:31 - Mariana: Mas não sei em...
11/05/2020 14:31 - Mariana: Que situação, né?
11/05/2020 14:32 - Joao: Pois é, era pra estar mais controlado, mas o presidente não ajuda muito kk
11/05/2020 14:33 - Mariana: Não ajuda em nada! Estou preocupada com o que pode acontecer ainda
11/05/2020 14:34 - Mariana: Se passarmos por mais um impeachment é de se discutir a própria democracia né
11/05/2020 14:34 - Mariana: Pois ao que parece não está funcionando para eleger representantes
11/05/2020 14:34 - Joao: Sim, essa instabilidade total piora situações como ansiedade
11/05/2020 14:35 - Joao: Se passarmos por mais um nossa economia vai demorar mais de uma década pra ser recuperar, ninguém investe em um país que troca de presidente como troca de camiseta
11/05/2020 14:36 - Mariana: Com certeza...
11/05/2020 14:37 - Mariana: Poisé, mas tudo caminha para isso né
11/05/2020 14:38 - Mariana: Até pq inquerito já foi instaurado
11/05/2020 14:38 - Mariana: O cara também é bem burro né, não dá uma dentro!
11/05/2020 14:39 - Mariana: As vezes me arrependo de ter feito direito, sabia?
11/05/2020 14:39 - Mariana: Com outra profissão eu teria chance de tentar a vida em outro país
11/05/2020 14:40 - Joao: Eu to pensando, quando me formar acho que vou pro Canadá
11/05/2020 14:40 - Joao: Sim, todo dia uma atrás da outra
11/05/2020 14:41 - Mariana: Eu iria
11/05/2020 14:41 - Joao: Uma amiga conseguiu validar o diploma dela de engenharia quimica
11/05/2020 14:41 - Mariana: Eu não gosto que falem mal do país, sei que em todos os lugares existem problemas - culturais, políticos..
11/05/2020 14:41 - Joao: Creio que engenharia mecanica de boa também
11/05/2020 14:41 - Mariana: Mas porra, virou bagunça!
11/05/2020 14:41 - Mariana: Virou putaria bater panela
11/05/2020 14:42 - Mariana: Ué? não era de avião?
11/05/2020 14:42 - Joao: Então hahaha
11/05/2020 14:42 - Mariana: kkkkkkkkk
11/05/2020 14:42 - Mariana: Indeciso em!!???
11/05/2020 14:42 - Joao: Mudei da UFSC pro IFSC, pra conseguir trabalhar de dia
11/05/2020 14:42 - Joao: Na UFSC não tinha como trabalhar e estudar
11/05/2020 14:43 - Joao: Ai mudei pra engenharia mecânica no IFSC a noite, aqui em Joinville também
11/05/2020 14:43 - Joao: Mas não perdi quase nada, matei várias matérias
11/05/2020 14:43 - Mariana: Já pensou as suas entrevistas de emprego?
11/05/2020 14:43 - Mariana: Hahahahah
11/05/2020 14:43 - Mariana: Ah, comecei com o curso x, depois migrei para y, depois z, depois x novamente
11/05/2020 14:44 - Joao: A eu nem falo nada hahaha
11/05/2020 14:44 - Mariana: Hahahahahha
11/05/2020 14:44 - Mariana: E tu se forma quando?
11/05/2020 14:44 - Joao: Antes do COVID era pra ser uns 2 anos haha
11/05/2020 14:44 - Joao: agora já não sei mais
11/05/2020 14:44 - Joao: e vc?
11/05/2020 14:44 - Mariana: Último ano
11/05/2020 14:45 - Mariana: Ano que vem já sou bacharel ahahha
11/05/2020 14:45 - Mariana: Bacherel é quando se forma, né?
11/05/2020 14:45 - Mariana: E sou 1/2 advogada
11/05/2020 14:45 - Mariana: Falta a segunda fase, sabe lá Deus quando será!
11/05/2020 14:46 - Joao: Da OAB?
11/05/2020 14:46 - Mariana: Eu sou indecisa para a vida, relacionamentos e compras
11/05/2020 14:46 - Mariana: Para o curso tem se mantido ahahha
11/05/2020 14:46 - Mariana: Uhum
11/05/2020 14:47 - Joao: Então, na real eu ia manter, mas com a situação financeiro dos meus pais complicou eu resolvi tomar as rédias. Meus pais já estão cansados, não quero que fiquem me bancando kk
11/05/2020 14:48 - Joao: Que massa!
11/05/2020 14:48 - Mariana: É, eu imagino! É bom você trabalhar, já vai entrando no meio né.
11/05/2020 14:48 - Joao: Parabéns, a segunda fase tu vai tirar de letra tbm
11/05/2020 14:48 - Mariana: Cara, eu tinha tantas expectativas para esse ano, mas o COVID atrapalhou muito
11/05/2020 14:48 - Mariana: Por isso ando desanimada, sabe?
11/05/2020 14:48 - Joao: Nem me fale... kkk
11/05/2020 14:48 - Mariana: Deus lhe ouça
11/05/2020 14:49 - Mariana: Eu consegui monitoria com a professora que eu mais admiro
11/05/2020 14:49 - Mariana: E ela desenvolve várias pesquisas, já conhece professores de federal e tal
11/05/2020 14:49 - Mariana: Esta fazendo doutorado
11/05/2020 14:49 - Mariana: E eu quero muito fazer mestrado
11/05/2020 14:49 - Mariana: Mas uma pós na federal já vale
11/05/2020 14:49 - Mariana: Então, queria ficar ali no meio né
11/05/2020 14:50 - Mariana: Até uma aula eu dei, sabia? ahhaha
11/05/2020 14:50 - Mariana: SOZINHA
11/05/2020 14:50 - Mariana: Tinha tudo para ser um bom semestre, nesse sentido
11/05/2020 14:50 - Mariana: Mas.....
11/05/2020 15:25 - Joao: Que isso, ai sim em!
11/05/2020 15:25 - Joao: Ta mandando muito
11/05/2020 15:26 - Joao: Também penso em fazer mestrado, mas as vezes desanimo kk
11/05/2020 15:29 - Mariana: Pq desanimo?
11/05/2020 15:29 - Mariana: Eu preciso aprender uma outra língua
11/05/2020 15:30 - Mariana: Só sei português e merda
11/05/2020 15:30 - Mariana: hahahah
11/05/2020 15:33 - Mariana: Eu gostaria de lecionar, acho muito legal!
11/05/2020 15:33 - Mariana: E na advocacia passa mais credibilidade
11/05/2020 15:33 - Mariana: Só que meu sonho não é advogar
11/05/2020 15:35 - Joao: Ah sei lá, as vezes cansa essa rotina só de estudos
11/05/2020 15:36 - Joao: Eu manjava um pouco de inglês mas tive que aprender mais ainda na marra
11/05/2020 15:36 - Joao: As materias especificas o conteudo que presta é praticamente em inglês kk
11/05/2020 15:36 - Joao: Quer ir pra concurso?
11/05/2020 15:44 - Mariana: É, cansa! Eu imagino...
11/05/2020 15:44 - Mariana: Yes! Queria magistratura e atuar em vara cível
11/05/2020 15:44 - Mariana: Queria não, eu quero
11/05/2020 15:44 - Mariana: Mas não sei se tenho perfil de concurseira
11/05/2020 15:45 - Joao: Ninguém tem até tentar 🙃
11/05/2020 15:46 - Joao: Se tu tirando a OAB de letra tem que tentar sim
11/05/2020 15:46 - Mariana: Ah, vou tentar até meus 35 anos
11/05/2020 15:46 - Mariana: Aí prorrogo até 40
11/05/2020 15:46 - Mariana: Vai que
11/05/2020 15:46 - Mariana: hahaha
11/05/2020 15:47 - Mariana: Demora para sair, ainda mais eu que só vou tentar no sul
11/05/2020 15:53 - Joao: Vai dar boa, tu tem que advogar 3 anos pra poder concursar né?
11/05/2020 15:53 - Joao: Na magistratura
11/05/2020 15:53 - Mariana: Isso! Nesse período eu tento pós e mestrado
11/05/2020 15:54 - Mariana: Até pq conta como título
11/05/2020 15:54 - Mariana: Então, nada é perdido
11/05/2020 15:59 - Joao: Verdade, não tem nada a perder, só a ganhar tentando
11/05/2020 16:00 - Mariana: Uhum
11/05/2020 16:00 - Mariana: E o relacionamento?
11/05/2020 16:00 - Mariana: Firme e forte?
11/05/2020 16:00 - Joao: Então, ela ta aqui em Joinville comigo, ta sem aulas e o Banco afastou os estagiarios
11/05/2020 16:01 - Joao: Ai ela ta "morando" comigo faz uns dois meses
11/05/2020 16:01 - Joao: Amanhã a gente faz 3 anos
11/05/2020 16:01 - Joao: E o seu?
11/05/2020 16:02 - Mariana: Caralho, o tempo voa em
11/05/2020 16:02 - Mariana: Ah, o meu as vezes anda e as vezes desanda
11/05/2020 16:02 - Mariana: Ora quero casar e ter filhos, ora quero chutar o balde e ser solteira o resto da vida
11/05/2020 16:03 - Mariana: hahahahaha jeito Mariana de ser
11/05/2020 16:03 - Mariana: Bem decidida, sabe?
11/05/2020 16:03 - Joao: Sei bem haha
11/05/2020 16:03 - Joao: Filhos é uma parada que nem cogitamos haha
11/05/2020 16:04 - Mariana: É que eu quase tive né
11/05/2020 16:04 - Mariana: Dai as vezes da vontade hahaha
11/05/2020 16:04 - Mariana: Mas passa bem rapidamente
11/05/2020 16:04 - Mariana: Qd eu vejo que n
11/05/2020 16:04 - Mariana: não tenho paciência nem com a minha cachorra
11/05/2020 16:05 - Joao: kkkkkkkkkkkk
11/05/2020 16:06 - Joao: É, complicado haha
11/05/2020 16:06 - Joao: Como vão seus pais?
11/05/2020 16:06 - Mariana: A mãe esta em casa
11/05/2020 16:06 - Mariana: Foi suspendido o contrato
11/05/2020 16:06 - Mariana: O pai começou as férias hoje
11/05/2020 16:06 - Mariana: Por enquanto esta ok
11/05/2020 16:06 - Mariana: Ninguem demitido
11/05/2020 16:06 - Mariana: E os seus?
11/05/2020 16:07 - Joao: Suspenderam a licitação da obra que meu pai estava indo em Maceio
11/05/2020 16:07 - Joao: E agora os dois estão em casa kk
11/05/2020 16:09 - Mariana: Af, é foda para eles né
11/05/2020 16:09 - Mariana: Sua mãe chegou a inciar o restaurante no caminho do vinho?
11/05/2020 16:09 - Joao: Não, deu uma parada, ela andava meio mal
11/05/2020 16:09 - Joao: Agora segurou por conta do covid
11/05/2020 16:09 - Mariana: Depressão?
11/05/2020 16:10 - Joao: Uhum
11/05/2020 16:12 - Mariana: Eita, e ficar parado em casa só piora, né?
11/05/2020 16:15 - Joao: Uhum, ela ta tentando estudar outras coisas devagarzinho
11/05/2020 16:18 - Mariana: A mãe eu plantei ideia de fazer empedão para vender
11/05/2020 16:18 - Mariana: Pelo menos ela ocupa a cabeça
11/05/2020 16:18 - Mariana: E ainda lucra um pouco
11/05/2020 16:18 - Mariana: E eu ainda como toda semana hahahaha
11/05/2020 16:19 - Joao: hahahah
11/05/2020 16:19 - Joao: stonks
11/05/2020 16:19 - Mariana: o que é isso?
11/05/2020 16:28 - Joao: É um meme haha
11/05/2020 16:30 - Joao: É tipo quando você mostra solução pra algo de uma maneira diferente inédita
11/05/2020 16:30 - Joao: Meio difícil de explicar hahaha
11/05/2020 16:32 - Mariana: Hmmm
11/05/2020 16:32 - Mariana: Entendi 🤔
11/05/2020 16:41 - Joao: E suas irmãs, como estão?
11/05/2020 16:44 - Mariana: Ah nega continua na loja
11/05/2020 16:44 - Mariana: a*
11/05/2020 16:44 - Mariana: Passou na primeira fase junto comigo
11/05/2020 16:44 - Mariana: Diz que vai tirar a OAB
11/05/2020 16:46 - Joao: Mas ela ja se formou né?
11/05/2020 16:47 - Mariana: Aham, ano passado
11/05/2020 16:47 - Mariana: Não sei o que ela vai fazer da vida
11/05/2020 16:48 - Mariana: Diz que quer ser delegada
11/05/2020 16:48 - Mariana: Mas não estuda
11/05/2020 16:48 - Mariana: A Daiana ainda mora em SP e esta casada, a um tempinho já
11/05/2020 16:48 - Mariana: A Luana continua bem e está no segundo ano de BJ (mesmo ano em que a gente ficava)
11/05/2020 16:48 - Mariana: O tempo voa, né?
11/05/2020 17:15 - Joao: Nossa, já??
11/05/2020 17:15 - Joao: Sim, muito haha
11/05/2020 17:15 - Mariana: Poisé
11/05/2020 17:15 - Mariana: Eu ainda não me toquei ahahaha
submitted by heartless2000 to desabafos [link] [comments]


2020.09.26 16:30 LadyHuntress_ Tenho 24 anos mas tamanho e corpo de uma criança de 12 e sou amargurada por isso

Já fiz um outro desabafo sobre isso, mas continuo tendo de desabafar pois isso é uma coisa que sempre vai me incomodar. Eu tenho 1,50 de altura e 40kg, não tenho nada de peito, teria que crescer muito pra ser considerado pequeno, é minúsculo, minha bunda então é algo inexistente, eu uso calça tamanho 14 que é número de criança e ainda assim a parte de bunda fica folgada, não sei como é usar uma calça justinha no corpo. Pra piorar meus quadris são retos como de uma criança também, NUNCA uma calça de adulto fica bonita em mim. Eu queria demais usar uma calça que ficasse justinha em mim bem bonita, como vejo outras meninas/mulheres por aí usando, queria poder usar um vestido justo, um decote, meu sonho usar um decote mas como meu busto é reto não dá certo. Já pesquisei vários vídeos no YouTube de truques pro peito parecer maior, mas os truques ensinam basicamente a levantar usando meia, sutian apertado etc, mas pra mim nada funciona pois é tão pequeno que se eu tentar "levantar" o mamilo aparece. Da impressão que a puberdade nunca chegou pra mim, sei que chegou pois sou super peluda e menstruo. Fora isso qualquer pessoa que me veja na rua acha que sou criança. E isso não é paranóia minha. As pessoas me chamam de "mocinha", pedem meu RG pra comprar bebida, uma vez uma caixa fez eu dizer a data no meu nascimento porque ela achou que meu RG era falso; sempre que falo minha idade a pessoa fala "nossa achei que você tinha 12!"; todo mundo que não me conhece me trata como criança. Os homens nunca se interessam por mim, e eu entendo eles, não tem nada em mim atraente, quem vai se interessar por alguém com corpo de criança?? Só um pedófilo. Vocês podem falar "ah mas o que importa é a personalidade e alguém gostar de você pelo que você é", mas não é isso que eu quero! Sempre que saio com minhas amigas elas são paqueradas, eu sou a mascote da turma que os caras simplesmente ignoram ou acham que é a irmã mais nova de alguém, não consigo ficar com ninguém. Eu queria que alguém me desejasse e dissesse que me acha gostosa pra car****, eu queria dar uns beijos de vez em quando, me sentir bonita, me sentir com tamanho de gente, me sentir bem com uma roupa que caia bem em mim, mas isso nunca vai acontecer. Não quero ter que ter uma coisa séria pelo resto da vida com alguém só porque essa pessoa gostou da minha personalidade. Não quero! Eu quero ser bonita, quero ser gostosa, quero ser paquerada as vezes, eu tenho vergonha do meu corpo e da minha aparencia. No início do ano fiquei com um cara mas ele nunca mais quis, provavelmente de sentiu pegndo uma criança ou se decepcionou quando viu meu corpo já que como ando coberta ele nao sabia como era. Se eu tivesse dinheiro eu faria um monte de plástica, e faria cirurgia de alongamento ósseo, mas infelizmente não tenho e por isso vou ter de passar o resto da vida amargurada e em celibato, e torcer pra na próxima encarnação minha puberdade ser completa.
submitted by LadyHuntress_ to desabafos [link] [comments]


2020.09.26 01:42 Maeve555 Atração por meninas?

Gente, estou desesperada por uma coisa q acontece a 2 meses, eu conheci uma garota lésbica, e desde desse dia eu passei a visitar o perfil dela no insta, pra ver as fotos, mas quando eu ia fazer isso, eu sentia um frio na barriga e meu coração acelerado e eu não gostava de sentir isso. Depois de uns dias passei a mandar msg quase todos os dias pra ela só que ela não me dava bola, até ai tudo bem, só que o meu cérebro sentia uma vontade incontrolável de mandar mensagem pra ela e eu não entendia o pq q a minha mente sentia essa vontade imensa de mandar msg pra ela. Um dia eu pensei q poderia ser essas coisas que sentia por ela, pensei q poderia ser inveja dela (pq ela desenha muito) ou rivalidade feminina, só que depois percebi que não era pq eu não queria o mal dela, mas descartando isso pensei que eu estava Obcecada por ela pq todos os storys que ela postava eu via todos e com o coração acelerado e frio na barriga, cheguei a ficar stalkeando a mãe dela e o perfil dessa menina só pra ver fotos dela, e sempre eu via uma foto dela eu pensava "mano que garota mais linda" Meu corpo ficava quente só de ver as fotos dela, ou quando ela postava um vídeo falando eu pensava " Que voz lindaaaa", ou quando eu conversei com ela e ela finalmente me respondeu, tivemos uma conversa longa e teve um momento q ela me chamou de fofa e meu coração explodiu de felicidade e eu só pensava naquela conversa que tivemos, eu fiquei toda vermelha quando ela me chamou de fofa. A todo momento eu pensava nela, no que ela estava fazendo, ou que queria poder abraçar ela, tocar a pele dela, escutar aquela voz... Eu pensava nela praticamente em todos os lugares. Eu decidi me vestir igual a ela, pensar igual a ela, até tentar desenhar igual a ela, Tudo isso já estava me enlouquecendo e eu queria uma resposta pra tudo aquilo que estava acontecendo com a minha mente quando eu via ela, eu até fiz planos de fazer festa de aniversário só pra poder convidar ela, poder abraçar ela e conversar cm ela. Eu tentava ser a mais perfeita o possível pra ela me notar ou pra poder impressionar ela, as vzs que ela falava que era lésbica, a minha mente pensava "Huuum lésbica né? Vou tentar fazer se apaixonar por mim" "Então me beija sua sapatão" Mas outra parte da minha mente tbm pensava " Não posso pensar essas coisas", e também teve uma vez q meu tio levou ela e meus primos pra praia, ele mostrou as fotos que ele tirou lá com eles, e quando eu vi ela na foto meu coração novamente acelerava, e eu só conseguia ver ela e mais ninguém, e nesse mesmo dia eu sonhei que estava dando um selinho nela e nesse sonho os meus sentimentos por ela estavam bem mais intensos, mas quando acordei eu me reprimi pq eu sempre fui a "heterozona" Pq eu sempre gostei de garotos, sempre beijei garotos , sempre pensei em garotos, pq isso agora?
Depois de todo esse relato, o que vocês acham? Isso foi uma atração ou q eu sou uma maluca invejosa?
submitted by Maeve555 to sexualidade [link] [comments]


2020.09.26 01:25 Maeve555 Atração por meninas?

Gente, estou desesperada por uma coisa q acontece a 2 meses, eu conheci uma garota lésbica, e desde desse dia eu passei a visitar o perfil dela no insta, pra ver as fotos, mas quando eu ia fazer isso, eu sentia um frio na barriga e meu coração acelerado e eu não gostava de sentir isso. Depois de uns dias passei a mandar msg quase todos os dias pra ela só que ela não me dava bola, até ai tudo bem, só que o meu cérebro sentia uma vontade incontrolável de mandar mensagem pra ela e eu não entendia o pq q a minha mente sentia essa vontade imensa de mandar msg pra ela. Um dia eu pensei q poderia ser essas coisas que sentia por ela, pensei q poderia ser inveja dela (pq ela desenha muito) ou rivalidade feminina, só que depois percebi que não era pq eu não queria o mal dela, mas descartando isso pensei que eu estava Obcecada por ela pq todos os storys que ela postava eu via todos e com o coração acelerado e frio na barriga, cheguei a ficar stalkeando a mãe dela e o perfil dessa menina só pra ver fotos dela, e sempre eu via uma foto dela eu pensava "mano que garota mais linda" Meu corpo ficava quente só de ver as fotos dela, ou quando ela postava um vídeo falando eu pensava " Que voz lindaaaa", ou quando eu conversei com ela e ela finalmente me respondeu, tivemos uma conversa longa e teve um momento q ela me chamou de fofa e meu coração explodiu de felicidade e eu só pensava naquela conversa que tivemos, eu fiquei toda vermelha quando ela me chamou de fofa. A todo momento eu pensava nela, no que ela estava fazendo, ou que queria poder abraçar ela, tocar a pele dela, escutar aquela voz... Eu pensava nela praticamente em todos os lugares. Eu decidi me vestir igual a ela, pensar igual a ela, até tentar desenhar igual a ela, Tudo isso já estava me enlouquecendo e eu queria uma resposta pra tudo aquilo que estava acontecendo com a minha mente quando eu via ela, eu até fiz planos de fazer festa de aniversário só pra poder convidar ela, poder abraçar ela e conversar cm ela. Eu tentava ser a mais perfeita o possível pra ela me notar ou pra poder impressionar ela, as vzs que ela falava que era lésbica, a minha mente pensava "Huuum lésbica né? Vou tentar fazer se apaixonar por mim" "Então me beija sua sapatão" Mas outra parte da minha mente tbm pensava " Não posso pensar essas coisas", e também teve uma vez q meu tio levou ela e meus primos pra praia, ele mostrou as fotos que ele tirou lá com eles, e quando eu vi ela na foto meu coração novamente acelerava, e eu só conseguia ver ela e mais ninguém, e nesse mesmo dia eu sonhei que estava dando um selinho nela e nesse sonho os meus sentimentos por ela estavam bem mais intensos, mas quando acordei eu me reprimi pq eu sempre fui a "heterozona" Pq eu sempre gostei de garotos, sempre beijei garotos , sempre pensei em garotos, pq isso agora?
Depois de todo esse relato, o que vocês acham? Isso foi uma atração ou q eu sou uma maluca invejosa?
submitted by Maeve555 to arco_iris [link] [comments]


2020.09.20 23:23 Maeve55 Sou bissexual?

LEIAM TUDO POR FAVOR.
Um tempo atrás, eu conheci uma garota lésbica, eu mandava Oi direto pra ela mas ela n dava bola pra mim. Depois eu comecei a ter um sentimento estranho por ela, um sentimento que nunca havia sentindo antes por outra garota (pelo que me lembro). Quando eu via foto dela meu coração acelerava, me dava frio na barriga, eu pensava nela todos os dias e eu até entrava no perfil da mãe dela pra ver mais fotos dela e na minha mente eu só conseguia pensar "Puts que garota perfeita linda demais". Mas teve um momento que esse sentimento estranho e essa obsessão por ela já estava me incomodando porque eu não sabia que sentimento forte era esse, eu até pensei que fosse inveja ou rivalidade feminina porque ela desenha muito bem e é muito talentosa, mas depois vi que não era isso porque eu não desejava o mal dela, então eu pensei que poderia ser admiração e eu queria me inspirar nela. Eu tentava ser igual a ela, ter o mesmo pensamento que ela só pra impressionar ela e ela me dar bola (mas não deu certo kkkk). Quando minha mãe falava dela, eu já ficava toda eufórica e com sentimento estranho. Praticamente todos os dias eu mandava mensagem pra ela, mandando músicas, mandando Oi, falando como eu era super feminista e lgbt (só pra ela se impressionar kkkk),ou sempre mandava elogios pro os trabalhos dela, eu já estava louca com essa obsessão por ela que eu não sabia o que era, eu tentei esquecer ela, mas n dava ela não saia da minha cabeça então eu voltava a seguir ela. Eu curtia tudo dela, queria saber mais sobre ela, e poder tocar a pele dela. Quando ela postava storys falando, na minha mente eu pensava " Mano ela ta falando aaaah q voz mais linda, não acredito que estou ouvindo a voz dela" Kkkkkk. Há todo momento queria estar com ela abraçar, tocar o corpo dela (não do jeito sexual), e quando ela disse que era lésbica eu pensava "huuum ent me dá um beijo" "Então quer dizer que eu tenho uma chance com ela" "Vou tentar fazer ela gostar de mim" Mas outra parte da minha mente falava pra eu parar de pensar essas coisas porque era errado (fui criada em família muito religiosa). Eu até convidei ela pra minha festa, eu praticamente vou fazer essa festa só pra poder ver ela e abraçar ela (e também impressionar ela) kkkkkk, depois eu sonhei que estava dando um selinho na boca dela e nesse sonho os meus sentimentos por ela eram muito fortes e quando acordei eu pesquisei sobre sonhos, e vi que sonhos representam os nossos desejos mais profundos, então comecei a ficar nervosa e tentar pesquisar sobre bissexualidade, quando pesquisei eu me identifiquei um pouco com alguns relatos de descobertas de bissexuais, mas eu não queria aceitar de jeito nenhum que eu não era hétero, porque eu nunca tinha gostado de nenhuma garota na minha vida, só gostava de garotos, só namorava garotos, só beijava garotos então como eu não era hétero??? Então eu decidi relembrar meu passado, e lembrei de muita coisa, lembrei que na escola eu costumava apertar minhas amigas, tocar nos seios delas, a bunda e se tivesse moscando eu ia passar a mão na ppk kkkkk, eu gostava de ficar abraçadinha com elas porque eu achava muito bom, só que elas ás vezes me empurravam (e também elas são héteros), porque elas achavam isso estranho e eu não achava estranho, tanto que até gostava, e isso fazia com que eu me sentisse diferente porque como eu que me considero hétero gostava de fazer isso com elas e elas que são héteros também, não faziam a mesma coisa que eu faço? e também pq não gostavam quando eu ficava abraçadinha com elas? Mas enfim também lembrei de quando eu tinha 9 anos, eu gostava de ficar abraçadinha com uma garota,sempre beijava a bochecha dela, esfregava meu rosto no rosto dela, e achava ela a mais linda do meu grupo de amiga, eu gostava de andar de mãos dadas com ela e teve um dia que esfreguei meu rosto no ela e acabei ouvindo da diretora e inspetora que estavam conversando e olhando pra gente, e eu ouvi elas falando sobre não sei o que " Lésbica ". Também teve outra garota, que fui na casa dela, e a gente brincava na casinha dela com outra menina também, depois as coisas começaram a ficar quentes (se é que me entendem) a gente começou a tirar as roupas e eu acabei dando uma lambida na bct dela mas nada demais depois de uns segundos acabou (só sei que nesse dia eu fiquei num fogo), depois em 2018 teve uma festinha na escola do dia das crianças, eu estava na fila do pula pula e eu ficava olhando pra trás quando vi uma morena linda, o cabelo dela era cacheado, tinha corpo violão, a boca bem rosinha, bundão, a pele cor de chocolate... Na minha mente eu só pensava " Que garota linda da porra, preciso conhecer ela Urgentemente, que garota perfeitaaaa, preciso ir lá falar com ela", depois essa mesma garota foi jogar vôlei com meus amigos e eu simplesmente não consegui tirar meus olhos dela, tava doida pra bater um papo com ela, dar uns abraços nela, tocar a pele dela, e elogiar ela de linda, gostosa, maravilhosa, perfeita... Também sempre gostei de ver mulher pelada, sempre senti tesão em pornô lésbico,ou ver mulheres se masturbando sempre me deu tesão tanto quanto homem! E então o que vocês acham disso tudo? Vocês acham que eu sou realmente bi ou só é uma fase??
submitted by Maeve55 to arco_iris [link] [comments]


2020.09.20 17:27 Maeve55 Sou bissexual?

LEIAM TUDO POR FAVOR.
Um tempo atrás, eu conheci uma garota lésbica, eu mandava Oi direto pra ela mas ela n dava bola pra mim. Depois eu comecei a ter um sentimento estranho por ela, um sentimento que nunca havia sentindo antes por outra garota (pelo que me lembro). Quando eu via foto dela meu coração acelerava, me dava frio na barriga, eu pensava nela todos os dias e eu até entrava no perfil da mãe dela pra ver mais fotos dela e na minha mente eu só conseguia pensar "Puts que garota perfeita linda demais". Mas teve um momento que esse sentimento estranho e essa obsessão por ela já estava me incomodando porque eu não sabia que sentimento forte era esse, eu até pensei que fosse inveja ou rivalidade feminina porque ela desenha muito bem e é muito talentosa, mas depois vi que não era isso porque eu não desejava o mal dela, então eu pensei que poderia ser admiração e eu queria me inspirar nela. Eu tentava ser igual a ela, ter o mesmo pensamento que ela só pra impressionar ela e ela me dar bola (mas não deu certo kkkk). Quando minha mãe falava dela, eu já ficava toda eufórica e com sentimento estranho. Praticamente todos os dias eu mandava mensagem pra ela, mandando músicas, mandando Oi, falando como eu era super feminista e lgbt (só pra ela se impressionar kkkk),ou sempre mandava elogios pro os trabalhos dela, eu já estava louca com essa obsessão por ela que eu não sabia o que era, eu tentei esquecer ela, mas n dava ela não saia da minha cabeça então eu voltava a seguir ela. Eu curtia tudo dela, queria saber mais sobre ela, e poder tocar a pele dela. Quando ela postava storys falando, na minha mente eu pensava " Mano ela ta falando aaaah q voz mais linda, não acredito que estou ouvindo a voz dela" Kkkkkk. Há todo momento queria estar com ela abraçar, tocar o corpo dela (não do jeito sexual), e quando ela disse que era lésbica eu pensava "huuum ent me dá um beijo" "Então quer dizer que eu tenho uma chance com ela" "Vou tentar fazer ela gostar de mim" Mas outra parte da minha mente falava pra eu parar de pensar essas coisas porque era errado (fui criada em família muito religiosa). Eu até convidei ela pra minha festa, eu praticamente vou fazer essa festa só pra poder ver ela e abraçar ela (e também impressionar ela) kkkkkk, depois eu sonhei que estava dando um selinho na boca dela e nesse sonho os meus sentimentos por ela eram muito fortes e quando acordei eu pesquisei sobre sonhos, e vi que sonhos representam os nossos desejos mais profundos, então comecei a ficar nervosa e tentar pesquisar sobre bissexualidade, quando pesquisei eu me identifiquei um pouco com alguns relatos de descobertas de bissexuais, mas eu não queria aceitar de jeito nenhum que eu não era hétero, porque eu nunca tinha gostado de nenhuma garota na minha vida, só gostava de garotos, só namorava garotos, só beijava garotos então como eu não era hétero??? Então eu decidi relembrar meu passado, e lembrei de muita coisa, lembrei que na escola eu costumava apertar minhas amigas, tocar nos seios delas, a bunda e se tivesse moscando eu ia passar a mão na ppk kkkkk, eu gostava de ficar abraçadinha com elas porque eu achava muito bom, só que elas ás vezes me empurravam (e também elas são héteros), porque elas achavam isso estranho e eu não achava estranho, tanto que até gostava, e isso fazia com que eu me sentisse diferente porque como eu que me considero hétero gostava de fazer isso com elas e elas que são héteros também, não faziam a mesma coisa que eu faço? e também pq não gostavam quando eu ficava abraçadinha com elas? Mas enfim também lembrei de quando eu tinha 9 anos, eu gostava de ficar abraçadinha com uma garota,sempre beijava a bochecha dela, esfregava meu rosto no rosto dela, e achava ela a mais linda do meu grupo de amiga, eu gostava de andar de mãos dadas com ela e teve um dia que esfreguei meu rosto no ela e acabei ouvindo da diretora e inspetora que estavam conversando e olhando pra gente, e eu ouvi elas falando sobre não sei o que " Lésbica ". Também teve outra garota, que fui na casa dela, e a gente brincava na casinha dela com outra menina também, depois as coisas começaram a ficar quentes (se é que me entendem) a gente começou a tirar as roupas e eu acabei dando uma lambida na bct dela mas nada demais depois de uns segundos acabou (só sei que nesse dia eu fiquei num fogo), depois em 2018 teve uma festinha na escola do dia das crianças, eu estava na fila do pula pula e eu ficava olhando pra trás quando vi uma morena linda, o cabelo dela era cacheado, tinha corpo violão, a boca bem rosinha, bundão, a pele cor de chocolate... Na minha mente eu só pensava " Que garota linda da porra, preciso conhecer ela Urgentemente, que garota perfeitaaaa, preciso ir lá falar com ela", depois essa mesma garota foi jogar vôlei com meus amigos e eu simplesmente não consegui tirar meus olhos dela, tava doida pra bater um papo com ela, dar uns abraços nela, tocar a pele dela, e elogiar ela de linda, gostosa, maravilhosa, perfeita... Também sempre gostei de ver mulher pelada, sempre senti tesão em pornô lésbico,ou ver mulheres se masturbando sempre me deu tesão tanto quanto homem! E então o que vocês acham disso tudo? Vocês acham que eu sou realmente bi ou só é uma fase??
submitted by Maeve55 to sexualidade [link] [comments]


2020.09.17 01:37 Denin1x Se não é depressão é quase isso

Hoje eu dormi a tarde, poucas vezes eu faço isso, e nas vezes que eu faço ou eu tô muito pra baixo ou eu tô exausto mesmo. Eu não fiz nada o dia inteiro, tinha marcado na agenda de estudar, não sei, não tô com vontade.
Também não quero sair de casa, as pessoas me olham estranho, não sei se é porque sou negro ou feio, talvez um pouco dos dois, meus amigos me chamam e eu invento sempre uma desculpa pra não sair. Meus amigos são mais bonitos que eu, sempre ouço as meninas elogiando eles e eu nunca fui elogiado, não cobro, talvez eu seja realmente feio e elas não querem mentir, tudo bem. Eu já estive na listinha dos " top meninos mais feios da sala ", poxa, se eu pudesse eu não seria feio, quem vai querer isso pra si? Eu não pedi pra nascer assim, eu até já me peguei querendo estar no corpo do meu colega branco, dos olhos verdes, cabelo loiro, ele se vestia bem, era bonito, tenho que admitir. Mesmo com isso tudo eu não me acho feio, eu até gosto de mim, da minha aparência, mas eu não posso dizer o mesmo das outras pessoas, deve ter um motivo pra sempre que vão falar o que acham de mim cortarem o assunto né. Sei muito bem que eu não devo ligar pra o que pensam de mim e tals, mas poxa, todo mundo pensa assim? Então deve ter algo errado né.
As vezes eu não consigo sair de casa, quando chego na porta, percebo que tem muita gente, vão me ver, ver minha feiúra, eu dou meia volta vou pro meu quarto e deito na cama, digo que não vou sair, sei lá, invento algo na hora.
Quando eu acordei hoje a tarde me veio uma sensação estranha, já tinha sentido isso antes, me veio uns pensamentos do nada, do tipo: — cara, já escureceu, eu tô dormindo, deitado, tô quase que nem um moribundo, não tô aproveitando a vida, se bem que eu sou um merda, não tenho mais muito papo, acho que notam quando eu vou rir pra simpatizar e o riso sai todo forçado, labios tremendo como se fosse chorar, por isso o papo morga na hora e a conversa acaba.
Sei que tudo isso é minha culpa, meu pensamento e minha baixa auto-estima, mas cara, é algo lá no fundo, não existe mudança de rotina que mude, eu nem tenho mais aqueles pensamentos de morte ou algo do tipo, gosto da minha vida, mas talvez assim seja pior, viver uma vida sem aproveitá-la, como uma criança muito pobre que olha um tênis bonito que ele tanto deseja na vitrine de uma loja.
Eu já sumi da vida de várias pessoas, nunca acredito que alguém goste realmente de mim, e mesmo que fosse verdade, o que eu faria? Eu só faço merda com quem eu gosto, é melhor me manter afastado.
Falando em vida, eu já não vejo mais graça nas coisas, piadas que meus amigos fazem eu rio pra não sair como chato, não gosto mais de fazer fofoquinha sobre outras pessoas, falar sobre relacionamentos, metas, estudos, sei lá, nada mais tem graça. Eu até tenho alguns sonhos mas fico pensando as vezes eles perdem o sentido, tipo, por que eu quero trabalhar? Tá, é pra fazer coisas que gosto, mas por que fazer algo que eu gosto? A vida só é isso? Manter a cabeça ocupada com coisas que gosta até que uma hora você morre?
Eu gostava de quando era criança, parece que tudo tinha mais cor, mais brilho, o sol parecia estar sorrindo pra mim, quando assistia os desenhos eu parecia estar naquele mundo, emoções intensas, paixões. Hoje nada disso tem graça, como se tudo tivesse perdido o brilho, como se eu tivesse fazendo hora extra na terra, o sol morreu, desenhos nem tem mais graça, não sinto mais aquela paixão por alguém, e dizem que eu sou frio pra caramba.
É como se eu tivesse sabido a história de um filme sem assistir, não vai ter o gosto de mistério, eu sei como acaba, 7 palmos a baixo da terra no cemitério da cidade.
submitted by Denin1x to desabafos [link] [comments]


2020.09.10 22:12 TheGoldenMorn A garota dos meus sonhos

Bom, eu não sei exatamente como desabafar isso, mas vai assim mesmo... Tive uma amiga da escola pela qual me apaixonei quase 15 anos atrás. Ela sempre foi uma pessoa muito boa, engraçada, uma voz tão bonita e doce, eu me sentia muito bem ao lado dela. Ela também se apaixonou por mim (com todas as letras, até pediu pra uma amiga em comum falar pra mim), mas eu era tão tapado, ansioso e sem tato com as mulheres que eu simplesmente ignorei isso. Continuamos amigos, bem próximos, até que mudei de escola. Daí em diante, me peguei sonhando com ela com uma certa frequência. Minha vida seguiu, arrumei uma namorada na nova escola, entrei na faculdade, terminei com minha namorada, chamei essa amiga dos meus sonhos pra sair e, novamente, não fiz absolutamente nada. Eu tento não me culpar por ter sido tão tapado até uns tempos atrás com as mulheres, eu realmente tive uma infância bem fechada e sempre sofri de ansiedade, o que me atrapalhou DEMAIS na hora de dar em cima de garotas, mas enfim, vida que segue... Perdemos contato, eu comecei a namorar uma outra menina, tivemos um filho, essa garota dos meus sonhos se tornou dentista e meu filho se consultou com ela. Depois eu terminei com a mãe do meu filho e reparei que a minha "dream girl" me excluiu de todas as redes sociais. Tentei seguí-la no Instagram, mas ela recusou a solicitação, não que eu estivesse querendo usar ela como muleta emocional, jamais iria querer isso pra ela, enfim...
Vida que segue, eu diria, não daria muita bola se ATÉ HOJE ela não saísse dos meus sonhos. Literalmente. E é horrível, sabe? Os sonhos são maravilhosos, neles a gente volta a ter a interação que tínhamos na escola, só que a gente se gosta, se beija, passeia e eu sou feliz. Tenho uma vida, sustento meu filho, tenho emprego, as pessoas gostam da minha presença... De algum modo, meu cérebro associou ela a coisas boas, realizações, uma vida que eu nunca consegui ter. E eu continuo sonhando com ela, com os sentimentos que tive naquela época e me dói demais, porque eu sei que é só um sonho. Me esforço pra me manter lá, mas mesmo naquela realidade eu sinto dentro de mim que tô só sonhando, preso numa ilusão. Acordo triste, irritado, frustrado comigo mesmo. Às vezes choro.

Hoje, depois de quase um ano solteiro, decidi mandar solicitação de novo no Instagram e ela aceitou. Eu mandei uma mensagem " E aí, como tu tá? :D", achei que ia me sentir bem em ao menos conversar, mas senti raiva de mim mesmo. Raiva por depois de todos esses anos, tudo que já passei, a sombra do que eu já fui um dia, eu ainda mandar uma mensagem pra ela na esperança de que esses malditos sonhos se tornem realidade. Eu só queria que esses sonhos parassem, que eu tomasse rumo na vida, pudesse me reerguer e fosse fazer algo de útil. Mas, isso não vai acontecer. Eles não vão parar e eu vou continuar sendo assombrado pela felicidade de quando tudo isso nunca aconteceu.
submitted by TheGoldenMorn to desabafos [link] [comments]


2020.09.08 21:57 Standard_Ride_9002 Tenho medo dos meus sonhos

Quero fazer um relato sobre algo q me acontece desde os meus 5/6 anos hj tenho 15. Quando era pequeno eu tive um sonho lúdico (isso qr dizer q eu conseguia controlar tudo) o sonho era assim. Eu tava na minha casa até q surgiu um estalo e eu me liguei q era um sonho então eu pensei nos meus amigos da escola e do nada eu tava na escola no Recreio brincando de pega-pega com eles, mas eu estava com medo ñ sei pq foi quando eu vi uma menina sozinha me olhando (Ñ era ninguém da minha sala) a menina olhou pra mim nisso eu fiquei com mais medo e sai correndo da escola pq algo estava errado e eu ñ sabia o q era quando eu saí da escola eu fui atropelado e acordei chorando me sentindo horrível (pelo menos foi o q meus pais falaram) Eu sempre tive ansiedade e um pequeno grau de esquizofrenia então meus pais acharam q foi por isso q eu tive aquele sonho. Esses sonhos ñ pararam, eu tenho um caderno q eu uso pra escrever esses sonhos pra ñ esquecer e ele está cheio de coisas assim. Eu sempre vejo aquela menina as vezes eu converso com ela as vezes ela só me olha de longe chamei ela de "Lost" no meu caderno. Toda vez q eu tenho um sonho desses eu acordo pensando em morrer me sentindo horrível com vontade até de vomitar e nessa quarentena eles aumentaram antes eu tinha pelo menos 1 sonho desses em 3 ou 4 meses, mas agr eles estão aparecendo com muito mais frequência e eu ñ sei oq é isso já falei pros meus pais e eles tentaram de tudo até rezaram pra mim, mas nada aconteceu e hj eu ñ dormi eu tô virado pq estou com medo dos meus sonhos. Obrigado a quem leu até aqui e me levou a sério
submitted by Standard_Ride_9002 to desabafos [link] [comments]


2020.09.06 09:54 _moaclara Relacionamento e liberdade

Estive em um namoro de 3 anos, 3 anos de carinhos e fazendo de TUDO por aquela pessoa. Eu me sentia bem, muito bem com ele, era tudo incrível, menos as partes em quer brigavamos por eu estar nervosa pq minha menstruação não descia de jeito nenhum. Eu tenho motivos pra estar nervosa, da primeira vez eu tinha 15/16 anos e pela primeira vez no meu aniversário de 17 anos, eu fiz um teste de gravidez. Que menina sonha em fazer um teste de gravidez no dia do aniversário? Alguns meses depois aconteceu de novo, mas aquilo pra mim já bastava! De todas as vezes fazíamos promessas, deq nunca iríamos estar naquela situação de novo, mas aconteceu. Eu estava cheia, estava me acomodando com a situação, estava planejando largar o meu sonho de facul pra viver uma vida totalmente diferente do planejado com ele... eu não estava acreditando que eu estava fazendo aquilo. Depois de 2 meses da minha menstruação não descer, eu decidi dar um fim naquilo, mas eu sou uma completa covarde, fiz isso pelo celular. Eu fui a extrema de uma cuzona de ter feito isso assim, eu sabia q se fizesse isso, iria ceder e continuaria com ele agora, mas é isso. Eu contei pra minha mãe, ela concordou com o fim do relacionamento, estando do meu lado, que foi uma surpresa pra mim pq ela é sempre estourada com essas situações, ainda mais quando falei da minha menstruação, achei q ela viria com paus e pedras pra acabar comigo, estava esperando o pior, achei q ela desconfiaria de uma gravidez ou sei lá, pq até eu suspeitava. Eu amo muito ele, serio mesmo! Mas outras coisas além do sexo estava me incomodando, o fato dele não ter me apoiado no meu maior sonho, de querer viajar e fazer varias coisas, eu entendo o medo dele de acontecer algo cmg, eu tbm tenho medo, mas sem medo não existiria a adrenalina na hora de fazer algo, seria uma bosta! Mas é isso, terminei e em seguida veio o nervosismo, dias depois veio a sensação de liberdade, sabe qual liberdade? De poder me assumir quem eu sou. De todas as vezes que ele perguntava do pq eu ser defensora da causa lgbt, senpre respondi que era importante, e que era injusto todo mundo poder amar e ter uma relação heterossexual e isso parecer "comum" e os lgbts terem que sofrer por amar de "diferentes" formas, era isso também, mas desde os meus 12 anos de idade eu já sabia o que queria e o que amava também, mas sempre tive algum tipo de medo de falar pra ele o que eu sou! Eu to em fase de descoberta, não sei exatamente doq eu gosto e doq eu me vejo, mas ainda vou descobrir. Agora, depois de 3 meses que minha menstruação não descia(e sempre q eu falaca sobre um ginecologista com minha mãe, me dava medo dela achar q eu estava grávida, era o meu maior medo de estar mesmo), resolvi vir pra casa da minha avó q é bem distante da cidade onde moro. Assim, inicialmente tive uns surtos e pensei em varias formas de me matar, não vou mentir, ainda mais ontem que desceu uma gosma extremamente preta, fiquei muito preocupada. Mas agr ta ficando normal, e é isso. (SE VC É MÃE DE MENINA, SEMPRE ESTEJA DO LADO DELA, CONVERSA COM ELA, LEVA ELA A UM GINECOLOGISTA PRA ELA TIRAR TODOS OS TIPOS DE DUVIDA. MESMO QUE SUA FILHA SEJA UMA ADOLESCENTE CUZONA, SEJA AMIGA DELA, PQ ELA PRECISA E MUITO. NGM RESOLVE NADA SOZINHO). Meu maior medo agora, eu acho, é que ele encontre esse texto ou que me encontre em qualquer outro lugar sla... Eu não tenho me sentido triste com isso tudo do relacionamento ter acabado, sinto falta dele sim, mas não é algo extremo, estava mais preocupada com meu corpo doq com isso... mas fico temendo, será que vou sentir a dor depois?
É isso, esse foi meu desabafo, não espero que alguem leia ou sla, mas é que essa madrugada tinha muita coisa enrolada. Ainda bem que reddit existe pqp!
submitted by _moaclara to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 04:33 Lucasmoore2016 O tempo muda tudo e ao mesmo tempo parece que nada

Quando tinha 18/19 anos trabalhava e tinha grana, saia para vários locais, ia em festas, conhecia muita menina.
Larguei tudo isso para me dedicar aos estudos,mudei para uma cidade a 50km, comecei a namorar acabei ficando bastante caseiro, cometi o erro de me afastar dos amigos, fiz bicos,estágios mas nunca um trabalho que realmente desse para fazer muita coisa.
Sete anos depois : estou desempregado, não me formei ainda, solteiro, sozinho, voltei para casa dos pais morando na mesma cidade que cresci e passei a odiar.
Meus amigos todos da época estão casados ou com filhos. Não tem mais ninguém aqui que eu possa chamar de "amigo" e bater só um papo que seja.
Passo fds em casa vendo Netflix,bebendo uma cerveja sozinho e ouvindo The National/Alt j.
Parece que se eu estava na posição 1 na época, hj estou na posição -1 haha.
Ando pela cidade de máscara, passo por locais que não andava há 10 anos ou mais, vejo a escola que estudei, só a pintura mudou,as ruas estão as mesmas mas dessa vez sem rostos conhecidos.
A praça que sentava para escutar rock depois das aulas(sdds do McR e todas essas bandas da época) tiraram uma fonte e o mato consumiu tudo.
Lembro dos sonhos que tinha na época e vejo que muita coisa não fiz e ao mesmo tempo fiz muita coisa que nem imaginava que faria.
Apesar de tudo tô aprendendo a dar pequenos passos de cada vez, tentando não cometer os velhos erros de sempre.
Hoje só queria um trabalho sei lá que pagasse o suficiente para eu me mudar para alguma cidade de médio porte do sp ou minas. Ver gente diferente,clima diferente, sotaque diferente,sei lá ter uma vida diferente e assim mirar o próximo objetivo.
No guilty party...
submitted by Lucasmoore2016 to desabafos [link] [comments]


2020.08.10 14:55 oqpensas Medo do Futuro

Muitos não sabem, mas não ando sozinho,tenho q ter meu pai ou minha mãe ao lado pra eu me sentir seguro, faço sessões com psicológo e tudo mais, mas, TENHO MEDO DE NUNCA FICAR CURADO, medo de não conseguir sair dessa, medo da ansiedade nunca me deixar ( ansiedade má), tô conhecendo um menino já tem 4 meses, falei pra ele do meu caso, ele disse q ainda assim quer tentar algo cmg, mas, fico triste, faço planos pra gente, penso em me assumir pra minha família, cujo, são pastores, e super apóiam a comunidade, são pais de outro nível sabe?! E recentemente entrei pra facul, meu pai me leva, as vezes minha mãe, meus irmão mais novos ajudam q tudo mais, porém descobri q derrepente eu não possa mais fazer o ensino superior, me frustrou sabe, pq estamos com dificuldade pra pagar um dívida q ficou de 2000 ( dois mil reais), e meus pais n tem esse dinheiro, eu não posso trabalhar pq não fico sozinho, me sinto um nada sem poder ajudar, parece q eu só existo, fico pensando quando eu fizer o estágio, como será? Meu pai cmg? Eu quero me sentir adulto denovo, sentir a Liberdade, me sentir alguém, eu quero isso, mas o futuro me dá medo, muito medo, não consigo ir na rua sozinho, vou até a padaria mas, fico ansioso, querendo logo minha casa, deposito todo minha confiança em Deus, ele é quem está sendo meu refúgio, o crush tbm, e mais ainda, MINHA FAMÍLIA. Eu só queria ir ao shopping e não ter medo de ficar lá dentro, desde os meus 12 anos q não vou ao shopping, mas tô me tratando e o que me consola é que um dia ficarei bom, muito bom, inclusive poderei amar, sentir as sensações de borboletas no estômago, como quando sentia quando namorava meninas, vou poder ter meu trabalho e retribuir a ajuda aos meus pais, um dia. Não quero ficar sem minha facul, falta tão pouco sabe, foi uma luta pra eu entrar, sou o primeiro da família/parentela, inteira á entrar numa universidade, todos felizes por mim, e eu MT MT MT MT feliz por mim, ter esse sonho interrompido me deixa triste, MT triste, mas tudo vai dar certo! Tudo vai dar certo!
submitted by oqpensas to desabafos [link] [comments]


2020.08.09 00:40 Naiade23 Bullying

Eu ando tendo muito pesadelo com coisas que me aconteceram no passado, principalmente com as aulas, eu fico pensando que tudo vai voltar quando retomar as aulas presenciais, que o pesadelo vai continuar. Eu sofri bullying por 4 anos, alguns podem dizer que é pouco tempo, mas é mais que é qsuficiente, e eu ando sonhando com o meu último dia de aula em uma determinada turma faz um tempo. Eu lembro sempre de uma festa que fizeram para um professor que toda a turma arrumou, e quando eu cheguei ñ sabia o que estava acontecendo, ninguém me contou, ninguém lembrou de mim, nem quem era meus "amigos", eu lembro que sentei em um banco mais afastada e fiquei escrevendo, e em um momento as meninas vieram e pegaram meu caderno e leram sem nem pedir e falar que eu fazia drama pra tudo, que era ridículo eu escrever sobre aquilo, elas me culparam por sentir mal e por escrever o que eu sentia. Eu sonho sempre com o dia em que eu tive que falar na frente de todos e os meninos ficaram brincando e debochando de mim, e quando eu fui em busca de apoio minhas "amigas" riram e dizeram que era estupidez minha. Depois disso eu sentei na classe e chorei e ninguém notou ou se importou, eu liguei pra casa e sai mais cedo, no outro dia eu ñ conseguia colocar os pés na sala de aula e fiquei fora da escola uma semana até me trocarem de turma. Toda a vez que eu via e que eu vejo meus antigos colegas eu tenho ataques de pânico.
submitted by Naiade23 to desabafos [link] [comments]


2020.07.17 05:03 PitchBlackMist [Muito longo] Oportunidades perdidas

Sinto que esse texto possa a vir a expressar uma certa arrogância e narcisismo, mas ainda assim quero escrever o que sinto.
Atualmente sou um jovem de 16 anos, nasci no interior de uma cidade pequena no sul do nosso Brasilzão. Meu irmão mais velho cuidou de mim quando pequeno (gostaria que fôssemos mais próximos hoje, mas esse não é o tema do desabafo), ele ensinou-me a ler e escrever quando eu tinha uns 4 anos. Cursei a pré-escola numa escolinha pacata com uma dúzia de alunos, inclusive ela fechou no mesmo ano que eu saí. Porém não reclamo disso, acho que foi bom pra mim, aprendi bons valores lá.
Em 2010 eu precisei trocar de escola, entrei numa escola de campo (a única próxima de minha casa, mesmo estando há 20km de mim). É uma escola pública, pequena, cerca de 150 alunos do pré até o ensino médio. Não tenho muito a reclamar do primeiro ao terceiro ano lá, eu tive acesso à internet desde cedo e gostava de procurar sobre dinossauros e o universo e falava disso com meus amigos, tanto é que eu ganhei o apelido de alienígena por isso (não era na maldade, até hoje alguns amigos me chamam assim). No segundo ano, inclusive, fiquei internado e perdi um mês e meio de aulas espalhadas ao longo do ano, mas eu tirava boas notas então fui aprovado assim mesmo, lembro de ficar irritadíssimo quando deixei de ganhar uma medalha numa olimpiadazinha da época.
Quando eu ingressei no quarto ano deparei-me com um repetente que, talvez como uma forma de lidar com a depressão que sofria após a morte do irmão, via-me como um alvo fácil para bullying. Eu era gordinho, chorava fácil, não sabia brigar, era mimado, era nerdão, o alvo perfeito, não? Até o sexto ano eu fui quase que constantemente bullynado por ele e mais um menino que não tinha nem mesmo vantagem física sobre mim, mas eu já tinha desenvolvido um complexo de inferioridade e acabava por me deixar ser abusado. Eu faltava muito às aulas, fingia estar doente, deixava de fazer o dever de casa, tive um péssimo desempenho durante esses anos, inclusive tentei suicídio aos 10 anos (foi uma tentativa boba de me enforcar com os lençóis que obviamente não funcionou, mas eu genuinamente desejava a morte). Como fuga da realidade eu recorria às redes, usava o computador de casa o máximo que podia para jogar Minecraft, Kogama, GTA:SA... O YouTube também servia-me como um grande passa-tempo, os 4 aventureiros foram a alegria da minha infância. Porém, meu irmão, no ápice de sua adolescência, dependia das redes sociais como forma de socialização já que moramos no interior, longe de qualquer pessoa da nossa idade além de alguns esparsos vizinhos que tínhamos, isso ocasionava muitas e muitas brigas porque eu era quase que dependente da internet pra fugir da realidade, e ele também dependia dela pra ter alguma vida social. Ele também passou por uma depressão profunda que ocasionava um comportamento agressivo, passamos mais de um ano inteiro sem dizermos uma palavra para o outro. Hoje ainda não somos mais tão próximos quanto quando éramos quando crianças, embora tenhamos superado essas diversas brigas.
Mas o tempo passou, no sétimo ano um dos bullies se mudou e o outro havia superado a morte do irmão, então eu não era mais abusado. Infelizmente, os últimos três anos de abuso na escola e em casa haviam mexido comigo; eu já não sentia mais prazer em estudar e, com meu irmão tendo um computador para ele mesmo, eu tinha acesso livre às redes e passava o dia todo jogando e vendo vídeos no Youtube, a única amizade que eu tinha era um cara que estudava comigo e que jogava comigo. Eu não reconhecia de verdade nossa amizade, eu via a realidade sob uma lente distorcida graças aos anos anteriores e não confiava em ninguém. Eu permaneci assim até o nono ano, em 2018; nunca fiz amizades reais fora da escola, nunca dormi na casa de outro amigo, só tive uma única amiga mulher, nunca pude experienciar a auto-descoberta e o início da sexualização do meu corpo junto à uma menina que estivesse passando pelo mesmo. Eu era manipulado facilmente nas redes, eu era radicalizado pela política aos 13 anos e desfiz a única amizade que tinha com uma mulher na vida real porque ela não apoiava o Bolsonaro. Eu também nunca dei meia foda aos estudos, nunca me importei em estudar; acredito que eu não aprendi quase nada no Fundamental II, eu não prestava atenção nas aulas, ficava conversando (com meu único amigo) e no celular a aula inteira, só estudava uma noite antes da prova ou no ônibus indo para a escola. Acredito que Deus tenha me abençoado com certa inteligência, pois mesmo fazendo tudo isso eu nunca peguei recuperação e quase nunca fiquei abaixo da média em uma prova. Claro, eu estudava em escola pública E de campo, não precisava ser nenhum gênio para isso, o conteúdo é de nível inferior quando comparado ao de uma escola decente ou, até mesmo, quando comparado com a escola pública média.
Eu não diria que tinha depressão, eu era ignorante do que deixava de experienciar, então nunca me importei... até entrar no ensino médio. Eu tinha um amigo virtual, que eu conhecia no Discord, ele aconselhava-me sobre a vida, ele me norteou e me ajudou a superar a ansiedade social que eu tinha na época. Ele é a razão de eu não ter continuado sendo o zumbi triste que eu fui durante o Fundamental II inteiro, ele me introduziu também à maravilha que é a MPB, coisa que eu jamais teria descoberto sem ele. Porém, eu tornei-me paranoico com doxx e deletei tudo que tinha online e, numa fase mais doentia minha, doxxei-o com base no pouco que lembrava dele e mandava mensagens pra ele com o seu nome real achando que era uma boa ideia. Sinto falta dele, mas já aceitei que não irei revê-lo, embora gostaria que ele me revesse agora, que estou num período mais saudável da minha vida e depois de superar todo o drama pelo qual ele me aguentou entre 2018 e 2019. No final do ano passado eu decidi mudar pra valer, e funcionou, eu sinto que sou uma pessoa muito melhor e que já superei a maioria de qualquer conflito passado pelo qual eu já passei e comecei a estudar por conta própria.
Este é, inclusive, o motivo pelo qual eu resolvi começar esse desabafo, mas ele acabou se transformando num resumo da minha vida, mas tudo bem. Minha escola é pública e ruim até para padrões de escola pública, mesmo assim, nunca tive dificuldades para passar de ano sem estudar. Estou estudando só agora o que deveria estar estudando ano passado ou até antes; eu não aprendi o Teorema de Pitágoras na escola antes desse ano, EU ESTOU NO SEGUNDO ANO DO ENSINO MÉDIO. Minhas professoras precisam pulam diversos assuntos por falta de interesse dos alunos e da administração da escola, alguns alunos, muitas vezes, saem das aulas pra cortar grama pra escola. Minha professora de biologia e química sempre me incentivou com os estudos e me auxiliou quando eu tenho dúvidas, mas minha professora de matemática não, ela eu não consigo perdoar baseado somente nisso que eu citei acima. Ela nunca respondeu uma dúvida que eu tive fora da escola, passa conteúdo atrasadíssimo para os alunos, é uma péssima professora em geral, se é que posso chamá-la assim. Ano passado, inclusive, ficamos o ANO LETIVO INTEIRO estudando funções de primeiro e segundo grau; eu lembro que mesmo ela tentando explicar o assunto (e pulando muita coisa importante como demonstrações de fórmulas) eu só observava-a sem entender porra nenhuma, mesmo assim conseguia um desempenho excelente nas provas de algum jeito. Além disso, moro no campo e eu sou o herdeiro da propriedade e tenho o papel social de seguir como fazendeiro na propriedade da minha família, diferente da carreira que desejo seguir. Meus pais inclusive não gostam muito da ideia de que eu saia de casa para estudar, meu pai até me apoia, relutante, porque passou pelo mesmo quando criança, mas cedeu à vontade do pai e deixou de seguir seus sonhos, enquanto minha mãe é abertamente contra e até zomba de mim, usando meu irmão que saiu de casa e não está exatamente sendo bem-sucedido como exemplo.
E isso me leva a diversos e se? Eu olho pro passado e pro presente e chego a conclusão de que eu tenho mais facilidade com os estudos do que a pessoa média. Eu comecei a estudar sozinho e estou progredindo num ritmo muito mais rápido do que eu esperava progredir. Sem querer parecer um babaca, eu não acho que sou um Albert Einstein da vida, mas acredito que eu sou no mínimo notavelmente inteligente. E se eu nunca tivesse sofrido bullying quando criança e me afastado dos estudos por 7 anos? E se eu nunca tivesse tido as diversas brigas com meu irmão e pudesse possivelmente começar a estudar o que eu gostava ainda quando pequeno? E se eu tivesse pais que apoiassem meus estudos sempre? E se eu estudasse numa escola que realmente me preparasse para a vida e em ensinasse de verdade? E se eu tivesse tido todas as oportunidades que tanta gente por aí que detesta os estudos têm?
Caramba, cara. Eu acredito que eu poderia ter sido muito mais, eu poderia ter ido tão longe, quem sabe onde eu poderia chegar se eu não tivesse tido uma infância merda e educação pior ainda? Eu estou estudando todo santo dia religiosamente para tentar compensar o que eu perdi graças à incrível combinação de desgraça que possivelmente arruinou minha vida acadêmica irreparavelmente.
Enfim, esse foi meu desabafo de 9500 caracteres que passei uma hora e meia escrevendo, eu sinceramente duvido que alguém vá ler isso tudo, mas eu precisava escrever isso, obrigado.
submitted by PitchBlackMist to desabafos [link] [comments]